Gerenciar um condomínio não é tarefa simples, além de se preocupar com as atividades operacionais de rotina, o síndico deve se atentar para o bem estar e o bom relacionamento dos condôminos a fim de manter a harmonia dentro do espaço coletivo.

Afinal, é muito comum o síndico se deparar com as situações mais adversas possíveis.

Confira algumas dicas abaixo:

 

Elevadores

> A manutenção deve ser mensal.

> O desnível entre o andar e o piso do elevador não deve ser maior que 5 centímetros.

> Evitar que crianças menores de 10 anos andem sozinhas no elevador.

> A maior parte dos acidentes com elevadores acontece durante a manutenção, principalmente pela falta de duas providências principais: colocação de placas de advertência no térreo, e desligamento da chave geral, para o elevador não andar enquanto sofre os reparos. Também é uma boa medida pedir para o porteiro comunicar as unidades.

Playground

> Os brinquedos devem ser permanentemente vistoriados, em busca de defeitos nas partes visíveis. Os brinquedos móveis, como gira-gira, balanço e gangorra, merecem maior atenção.

> Deve ser inspecionado, uma vez por ano, por um profissional responsável.

> Deve seguir as normas da ABNT.

> Observar a distância de passagem em frente ao balanço, prevenindo choques.

> Verificar a boa iluminação do local.

> Procurar estabelecer e respeitar os horários para a utilização do playground.

> Crianças menores de 5 anos devem estar acompanhadas de um responsável.

> Não deixar que a criança brinque sozinha no playground, ela pode cair ou machucar-se e não ter ninguém por perto para socorrê-la.

> É bom que as crianças maiores brinquem acompanhadas pelo menos de coleguinhas.

> Evite o uso de areia no piso, pois ela atrai gatos para urinar no local, trazendo riscos à saúde das crianças.

 

Piscina

 

> Mesmo que a piscina seja rasa, apropriada para crianças, não é indicado deixá-las sozinhas no local. (Ver lista de recomendações para os pais).

> Lembre-se de que os funcionários do condomínio não podem ficar tomando conta das crianças na piscina. Por isso, oriente a todos os funcionários para ligarem imediatamente para os pais das crianças que forem encontradas desacompanhadas de adultos no local. Lei nº 9.975 (29/05/98), para o Estado de SP Artigo 1º – Aos administradores das piscinas de uso comum da população incumbe promover exames de controle bacteriano da água, no mínimo uma vez por mês, utilizando-se, sempre, mais de um organismo como indicador Artigo 2º – É obrigatória a pesquisa de algas, leveduras e amebas de vida livre nas piscinas, duas vezes por ano, no mínimo.

 

  Áreas de Acesso Restrito

 

> A caixa d’água deve estar bem vedada. Se possível, deixar fechada as portas de acesso aos equipamentos que ficam no topo do prédio.

> Peça aos funcionários para deixarem trancadas, quando fora de uso, áreas como depósitos, sala de máquinas e casa de barriletes.