08/12/2020 – Do offline para o online: aprendizados na pandemia

Diversos modelos de trabalhos foram remodelados e reorganizados durante a pandemia, as empresas que puderam adotar o home office, o fizeram, e algumas conseguiram mantê-lo até o momento. Já serviços que dependem do contato com o cliente e uma presença maior, como o comércio, viram na tecnologia a possibilidade de funcionar bem e garantir a segurança de todos.

A adoção de medidores de temperatura, uso de câmeras que aferem temperaturas e sistemas que verificam lotação máxima de ambientes, são alguns exemplos de como o mundo online pode ter moldado esse 2020, e o modificado completamente para os anos que virão.

Em serviços que precisam lidar com intensa quantidade de papelada, os documentos digitalizados foram a solução. Já em locais que precisam  fortalecer o relacionamento com o cliente, o uso de aplicativos mostrou-se um grande aliado de gestores. Em condomínios, como observamos, o contato por centrais de mensagens, assembleias onlines e reservas por meio digital foram alternativas em meio ao distanciamento e isolamento social.

Todas essas oportunidades de avançarmos tecnologicamente foram fundamentais para reduzir número de contágios e construir modelos focados em otimização de trabalho e melhor adaptação de todos à situação momentânea. E você, tem algum palpite sobre qual tecnologia que deve nos acompanhar por muito tempo e foi implementada durante a pandemia?

15/01/2020 – Perfil dos porteiros: síndico deve estar atento na hora de contratar

Há muito tempo já não vemos mais aquele típico perfil dos porteiros de novela em condomínios: uma pessoa idosa, de cabelo grisalho e com dificuldades de interatividade com a internet. Com o avanço da tecnologia, esses profissionais passaram a buscar cada vez mais cursos de aperfeiçoamento com o objetivo de se adequar seja para continuar no emprego, ou retornar ao mercado de trabalho.

 

A característica desse “novo” profissional é estar mais preparado tecnologicamente, possuir conhecimento em diversos assuntos relacionados ao dia a dia do condomínio e, ainda, ser prestativo e comunicativo com os moradores. Por causa de sua grande responsabilidade o síndico, ou a administradora do condomínio precisa estar atento na hora da contratação desse profissional.

 

Confira algumas dicas na hora de contratar um porteiro:

 

Defina o perfil dos porteiros

 

O primeiro passo na hora de contratar um novo porteiro é definir o perfil que se almeja desse profissional. De nada adianta o síndico contratar um porteiro com dificuldades em tecnologia se a portaria do condomínio for toda eletrônica. Portanto, uma boa ideia seria convocar uma reunião para definir as exigências e as necessidades desse novo profissional.

 

Analise a experiência do candidato

 

Definido o perfil do profissional que será contratado, observar o tempo de experiência do candidato como porteiro poderá ser um diferencial. Atente-se para o tempo de permanência em empregos anteriores e questione o candidato sobre os motivos de saída. Se achar necessário, ligue para o antigo local de trabalho do pretendente.

 

Entreviste os candidatos

 

Lembre-se que quem está sendo entrevistado é a pessoa que está buscando a vaga. Portanto, apenas comande a entrevista. Escute mais do que fale e procure elaborar perguntas abertas para que ela possa se expressar. Dessa forma você poderá conhecer melhor o candidato. Em determinado momento da entrevista, procure ser direto, faça questões pessoais, de forma sutil, como por exemplo, sobre questões familiares. Essa é uma boa estratégia para compreender as necessidades e características dos candidatos.

 

Realize testes

 

Existem testes psicológicos que ajudam na identificação das características dos candidatos. Por meio desses exames é possível identificar algum desvio de perfil do profissional para a vaga, o que pode comprometer o desempenho do porteiro para as atividades na função. Para esse tipo de atividade recomenda-se a contratação de um especialista, que será responsável por analisar os resultados obtidos nos testes. Os exames mais comuns durante um período de seleção são:

 

Teste de personalidade

Esse teste tem a finalidade de traçar a personalidade do indivíduo para entender o seu comportamento.

 

Teste de raciocínio lógico

Tem por objetivo avaliar a capacidade cognitiva do candidato por meio de testes práticos e teóricos.

 

Teste de ação concentrada

A principal característica desse exame é medir a concentração do candidato durante um período pré-determinado.

 

Contratação de novo perfil dos porteiros exige planejamento

 

Como se vê, a contratação de um novo porteiro para o condomínio exige planejamento e merece atenção por parte do síndico. Um bom porteiro representa os primeiros olhos do ambiente e precisa ser um profissional de confiança do empreendimento. Sendo assim, os funcionários da portaria são de extrema importância e precisam ser bem escolhidos.

 

Fonte: Viva o condomínio

14/10/2019 – O que é mudança de mindset e como estimular a inovação nos condomínios

A inovação nos condomínios é um desafio e uma meta a ser alcançada para promover a qualidade de vida. Seja por meio de um novo software para auxiliar na gestão ou em sistemas de monitoramento mais modernos e inteligentes, como a portaria remota, a inovação é a resposta para ajudar a reduzir custos, otimizar operações e trazer mais segurança em um condomínio.

Contudo, iniciativas inovadoras frequentemente esbarram na resistência dos moradores, muitas vezes preocupados com os custos de soluções mais avançadas ou simplesmente por serem avessos a mudanças.

Mas, quando feitas no momento certo e da maneira correta, propostas que visam trazer inovação ao condomínio podem gerar muitos benefícios para o empreendimento e seus moradores.

O objetivo final da inovação é agregar valor ao condomínio: a ideia é incrementar o que existe e melhorar a vida coletiva. Entretanto, isso exige uma mudança de mindset tanto dos condôminos quanto do síndico.

O que é mudança de mindset?

Mudar o mindset significa “abrir a cabeça” das pessoas mais resistentes à inovação de forma a criar um movimento coletivo que seja receptivo às mudanças.

O novo pode, muitas vezes, parecer estranho. Dessa forma, é preciso disseminar uma postura mais moderna por meio de uma comunicação interna clara e objetiva, que esclareça a todos quais são as mudanças propostas, os seus objetivos e os resultados que se pretende alcançar com cada uma delas.

Quando as pessoas adquirem uma mentalidade aberta à inovação, elas passam a ter uma visão muito mais favorável a novas soluções e se tornam mais receptivas a ideias diferentes, que visam melhorias para a vivência coletiva.

Como estimular a inovação nos condomínios?

Inovar exige questionar com frequência como cada processo pode ser feito de forma mais eficaz. Para isso, é preciso abandonar algumas formas tradicionais de fazer as coisas em um condomínio.

Será que o atual sistema de segurança e vigilância é realmente efetivo? O controle dos acessos ao condomínio é tão rígido quanto deveria ser? Como é feito o recebimento de visitantes? Será que o condomínio está fazendo seu melhor para reduzir custos?

A adoção de um mindset aberto à inovação começa pela implementação de pequenas mudanças, feitas de modo gradual. É preciso fazer com que as pessoas pensem além do que estão acostumadas atualmente. Ao mesmo tempo, os moradores precisam se sentir à vontade e entender as soluções que são propostas e os impactos que elas trarão para o dia a dia do condomínio.

É importante que o gestor deixe claro que a inovação não é sinônimo de gastos exorbitantes ou da aplicação de tecnologias complexas (preocupação latente em moradores mais idosos, por exemplo), mas de ferramentas capazes de promover pequenas mudanças de hábitos e atitudes que melhoram a vida de todos.

Como convencer os condôminos?

É fundamental que o gestor acompanhe as principais mudanças que têm ocorrido no segmento e informe-se sobre as principais tecnologias que estão sendo adotadas e os valores que vêm sendo praticados.

O assunto não é tão complicado, mas há muitos detalhes que devem ser discutidos antes de se bater o martelo. Dúvidas como: a solução é realmente necessária? Quais serão os benefícios? E os custos? Vale a pena esse investimento? Será que todos estão de acordo em assumi-los?

Para ajudar, um passo importante é separar as mudanças de acordo com o seu impacto no condomínio. Por exemplo:

– Inovações necessárias: substituem estruturas ou processos que não vêm dando certo e que causam prejuízos ou trazem riscos ao condomínio;

– Inovações úteis: são aquelas que facilitam e melhoram o dia a dia do condomínio;

– Inovações supérfluas: não oferecem impactos relevantes, como alterações estéticas, mas que agregam valor ao condomínio.

Para que a inovação seja um sucesso, é importante que cada detalhe seja observado. Do planejamento financeiro à verificação dos impactos após sua implementação, tudo influencia na satisfação dos moradores. Por isso, cabe ao síndico ter certeza de que todos os moradores compraram a ideia e não vão se opor posteriormente.

Para que o síndico seja capaz de convencer a todos, é importante que ele conheça os benefícios que determinada inovação pode trazer, não somente em termos pontuais, da praticidade de cada solução, mas para a coletividade. As principais vantagens da inovação são:

– Valorização do imóvel: um condomínio que conta com as soluções mais modernas desperta maior interesse de possíveis compradores e locatários. Para os condôminos, isso significa a valorização das unidades e do empreendimento como um todo.

– Modernização da estrutura: com soluções mais eficazes, reduz-se a incidência de problemas e melhora-se a vida dentro do condomínio, abandonando processos obsoletos e mais propensos a falhas.

– Melhoria da segurança: a implementação de tecnologias e soluções de segurança, como a portaria remota, oferecem maior proteção aos moradores e ao patrimônio coletivo, garantindo a integridade e a tranquilidade de todos.

Via Kiper Portaria Remota