23/06/2020 – 7 Dicas para melhorar seu home office

Como está sua adaptação ao home office? Se acha que está boa, saiba que pode melhorar ainda mais. Suavizar as mudanças de rotina e o aumento de responsabilidade ocasionado pelo novo coronavírus é possível com pequenos ajustes que melhoram a maneira como você encara seu dia a dia.

 

Um estudo realizado neste ano pela Fundação Getulio Vargas (FGV) aponta que 30% das empresas brasileiras devem manter o home office em suas jornadas após a pandemia. E mais: uma pesquisa online feita pela Robert Half com mais de 800 pessoas indica que, mesmo com uma carga de trabalho maior, 86% dos entrevistados gostariam de continuar atuando remotamente.

 

Essa é uma tendência que veio para ficar, então que tal conferir nove dicas para home office em que você não tinha pensado ainda e que podem fazê-lo se sentir, definitivamente, em casa? Quem nos ajudou nessa seleção de dicas foi a Intel.

 

1. Utilize a TV como monitor sem fio

 

Múltiplas telas são sinônimo de melhor organização. Quando você utiliza ao menos dois monitores, a visualização de tarefas é otimizada, ficando mais fácil de ler e consultar quaisquer informações. Para isso, não é preciso realizar um investimento em novos equipamentos logo de cara. Atualmente, várias TVs permitem a conexão por meio de cabos HDMI e até remotamente, podendo ser configuradas diretamente no PC. Reuniões remotas vão se tornar uma nova experiência profissional. Espelhar o conteúdo do computador não exige muito trabalho. Conecte a Smart TV ao Wi-Fi ou a aparelhos como Chromecast. Configurações intuitivas fazem parte dessa novidade.

 

2. Ajuste a luz do ambiente

 

Ergonomia é fundamental para a saúde, e ajustar a luz do seu canto de trabalho faz parte do conjunto de práticas para preservar o bem-estar físico e psicológico, já que ambientes mal iluminados podem causar tensão nos olhos, estresse e fadiga.

 

Um estudo de 2014, realizado por pesquisadores da Northwestern Medicine e da Universidade de Illinois, revelou que trabalhadores que tiveram mais exposição à luz natural dormiram mais e melhor à noite. Portanto, aqui vão algumas dicas: não se sente de costas nem de frente para a janela, para não bloquear ou ficar diretamente exposto à luz. Mesmo no caso de luminárias e lâmpadas, a luz precisa ser uniforme; nada de apertar os olhos ou de prejudicar sua visão com reflexos no monitor.

 

3. Escute músicas que ajudem na concentração

 

Mitzi Baker, da Universidade Stanford, com o auxílio de ressonâncias magnéticas, analisou a atividade cerebral de pessoas antes, durante e depois de ouvirem uma sinfonia. O resultado? A música ativou regiões do cérebro relativas a atenção, capacidade preditiva e memória.

 

Por isso, aproveite o espaço e a liberdade proporcionados pelo home office para criar uma lista de músicas que auxiliem nos processos do dia a dia. Fique atento para não selecionar faixas que atrapalhem o seu foco. Vai do gosto musical e do objetivo de cada um, então experimente.

 

4. Tenha cuidado com o almoço

 

Estabelecer uma rotina saudável de almoço não diz respeito apenas a alimentos sem gordura ou com pouco açúcar. Uma pesquisa da WW Vigilantes do Peso com mais de 2 mil entrevistados indicou que 47% acham mais difícil manter uma alimentação saudável durante a quarentena, mas que um bom planejamento alimentar pode ajudar nessa tarefa.

E isso envolve, além da definição de itens a serem consumidos, um momento dedicado à preparação de marmitas. Cozinhando o almoço

da semana de uma só vez, você pode aproveitar o intervalo tranquilamente e, quem sabe, ter até tempo para uma sonequinha.

Mas atenção: nada de almoçar ou de dormir na frente do computador. Não se esqueça de que você está em casa, por isso tem uma liberdade maior e deve cuidar da saúde com os benefícios proporcionados pela modalidade.

5. Adote um animal

 

Espantar a solidão do distanciamento dos colegas é bem simples: animais de estimação podem trazer mais alegria ao seu home office. Psicólogos relatam avanços significativos em tratamentos quando um pet entra na rotina dos pacientes.

Não se esqueça, entretanto, de que é necessário ter muita responsabilidade com o companheirinho escolhido. Ele precisa de carinho, cuidado e atenção tanto quanto você, o que inclui a escolha de ração adequada, vacinação e acompanhamento veterinário. Depois, é só aproveitar o chamego proporcionado.

6. Decore o ambiente com plantas

 

Plantas ornamentais são capazes de modificar completamente o seu escritório pessoal, e um estudo da NASA indica que elas ajudam a absorver poluentes e a filtrar a água do ar. Na hora de escolher quais farão parte da sua rotina, estude o local no qual serão colocadas e o que é necessário para mantê-las vivas e agradáveis.

Opções não faltam: samambaia, renda-portuguesa, jiboia, cactos e suculentas, pacová, espada-de-são-jorge, maranta, lírio-da-paz, antúrio e violeta certamente trarão uma cor a mais para seu trabalho remoto. Pesquise a sua favorita.

 

7. Converse com quem mora com você

 

Conciliar rotinas é essencial para o bom andamento do dia a dia em trabalho remoto, por isso, caso more com mais de uma pessoa, não deixe de ter uma conversa franca sobre os limites de cada espaço e a necessidade de silêncio nas horas em que for preciso. Ninguém quer que uma reunião virtual seja atrapalhada ou que a concentração seja prejudicada.

Paciência e compreensão devem ser aplicadas a todo momento, afinal trata-se de uma rotina nova para todos os envolvidos. Não se esqueça, também, de que videoconferências dependem de um conjunto de práticas para funcionarem bem. Estude as configurações dos aplicativos utilizados e não deixe de entender como ligar e desligar o microfone de maneira agilizada; normalmente, existem atalhos logo na tela inicial de visualização da conversa — ative-o somente quando for falar, pois isso permite que todos se entendam perfeitamente, sem ruídos incômodos.

Mãos à obra

 

Agora que você percebeu que não é difícil tornar tudo melhor, considere investir em equipamentos de qualidade para a sua atuação, porque eles serão suas ferramentas mais potentes na hora da produtividade. A Intel fornece tutoriais detalhados de suas soluções e equipamentos diversificados para todas as necessidades, além de suporte exclusivo.

Depois de seguir todas as dicas e estruturar seu setup ideal, você poderá ter conforto, comodidade e, finalmente, poderá colocar mãos à obra. Tendo mais algum conselho, não deixe de compartilhar.

 

Fonte: Tecmundo

29/05/2020 – Crianças e Home Office: Adaptações que trazem harmonia ao lar

O “novo normal” que será vivido pós-pandemia da Covid-19 impactará também a vida das crianças. Com mais tempo em casa, a difícil tarefa em manter os pequenos ocupados com atividades além eletrônicos se tornará permanente.

 

Assim como a criação de uma rotina, é superimportante para as crianças a organização do espaço delas, pois a permanência delas em casa se tornou um desafio para os pequenos e para os pais, que precisam alinhar a educação dos filhos, brincadeiras e entretenimento com o home office.

 

O escritório Go Up Arquitetura, especializado em soluções para reformas, percebeu o aumento na demanda de adaptações de casas e apartamentos nos últimos meses, desde o começo da quarentena, através de um trabalho que chamam de Fast Decor, onde o escritório projeta intervenções e melhorias no espaço daquele lar, e os clientes fazem as transformações em casa, coordenados à distância.

 

“Tivemos um aumento de 50% na busca por esse tipo de projeto, inclusive para apartamentos com crianças. Como as pessoas não saem de casa, muitas buscam maneiras de adaptação a baixo custo, criativas e que elas mesmo possam fazer. Inclusive, podemos incluir a atividade com a criançada, que adora”, revela Juliana Silva, arquiteta e sócia da Go Up Arquitetura, de São Paulo.

 

Como sugestão, as arquitetas da Go Up Arquitetura Amanda Mori e Juliana C. Silva, sugerem algumas ações que podem ser feitas e adequar espaços para os pais em home office e a criançada em home schooling. “As dicas são fáceis de implementar e podem ser feitas por quem mora em casa ou apartamento, mesmo que pequeno. Um profissional de arquitetura pode projetar a melhor forma de adaptação e indicar os móveis e utilidades e até mesmo os melhores locais para encontrá-los com facilidade”, explica Amanda Mori, sócia da Go Up Arquitetura e responsável por projetos.

 

Essas dicas são muito fáceis de implantar e podem ser feitas por quem mora em qualquer tipo de casa ou apartamento, mesmo que pequeno. É só planejar e botar a mão na massa para fazer o “Home Schoooling” e o “Espaço Seguro”

 

Espaço Seguro

 

Durante o Home Office dos pais, como dica, pode-se separar dois ambientes da casa para as atividades e da rotina da criança, enquanto os pais trabalham.  O primeiro deles, seria o “Espaço Seguro”, um ambiente propício para criança ficar por pequenos períodos sem supervisão direta (enquanto os pais estão em uma reunião, por exemplo e não podem ter interrupções), onde ela  poderá criar, desenvolver, estudar, ler e fazer qualquer atividade com autonomia. Segundo Juliana, o ‘Espaço Seguro’ deve ser livre de quinas, móveis fáceis de subir e sem objetos que possam oferecer risco. “Pode ser o quarto da criança ou então uma varanda pequena.

 

O local deve ser claro, preferencialmente de luz natural, organizado e estimulante de atividades individuais como pintar e desenhar, para a criança se divertir sem necessitar de acompanhamento dos pais. Se puderem disponibilizar de uma parede ainda para essa criatividade, melhor ainda. Depois, nada que uma nova “mão de tinta” não resolva”, ressalta a arquiteta da Go Up Arquitetura.

 

Amanda Mori, profissional da Go Up Arquitetura sugere um espaço de trabalho compartilhado – o “Home Schooling”. Este é um ambiente híbrido e funcional. Por exemplo, se os pais estão fazendo Home Office na mesa da sala, é interessante manter um espaço na mesma mesa para a criança fazer suas atividades escolares juntos, com o apoio dos pais quando necessário. ”

 

Caso a criança não tenha idade e altura suficiente para compartilhar uma mesa tamanho adulto, existem diversas mesas e cadeiras infantis que podem ser inseridas neste contexto, e que podem fazer, ainda, parte da decoração da casa, mantendo o ambiente organizado mesmo nas horas de descanso”, revela Mori.

 

 

Fonte: TERRA

25/05/2020 – Home office: saiba quais são os direitos dentro dos condomínios

Hoje os lares são ambiente de home office e local de entretenimento, o bom senso para ambos é o ideal

home office tem sido uma opção para muitos brasileiros. Os condomínios residenciais, neste momento de pandemia, acabaram se tornando também, um ponto comercial para aqueles que estão fazendo trabalho remoto.

Personais Trainers, professores, profissionais liberais, entre tantos outros seguem trabalhando dentro das exigências de cada atividade, mas todos dentro casa.

A conciliação entre as atividades, é o que têm gerado grandes reclamações por parte dos vizinhos, e os síndicos de muitos condomínios estão tentando administrar a situação, haja vista que, um personal trainer, por exemplo, precisa se movimentar, realizar saltos e corridas em casa, enquanto um advogado, requer silêncio para concluir suas atividades.

Home office dicas

Jefferson Franco Rincão, mais conhecido com o DJ Fefo, ele foi convidado por uma empresa para fazer três vezes na semana, das 17:30 da tarde às 19:30 da noite, um happy hour pelo site de conversas Zoom, para que os colaboradores tivessem um momento de confraternização.

Entretanto, alguns vizinhos reclamaram à síndica, que o som vindo da casa do DJ estava muito alto, o que acarretou uma advertência a ele. Porém, até onde vai o limite de som para cada um? Ser DJ é o trabalho do Jefferson e diante deste momento, foi o que salvou a renda familiar.

“Eu o orientei que fizesse uma medição dos barulhos em decibéis para saber se ultrapassava do limite normativo, 55 decibéis de acordo com a NBR 10.151/2000, para o período diurno (7hrs às 20 hrs); pois estando dentro da exigência legal as reclamações não prosperam, e o morador tem direito de exercer suas atividades laborativas da mesma forma que qualquer outro profissional”. conta Sabrina Rui, Advogada em direito imobiliário.

Fefo comenta que, o setor de entretenimento foi o primeiro a parar perante pandemia, e será o último a voltar à normalidade, já que este gera aglomerações. Depois que a empresa o contratou, ele continuou fazendo as lives, e logo após 40 minutos do primeiro dia, o interfone voltou a tocar em sua casa, Jefferson enviou uma mensagem ao porteiro dizendo que estava trabalhando e que acabaria às 19:30 como combinado. No dia seguinte, chegou à notificação para ele, sobre barulho e conversa alta.

“Como é o meu trabalho, as lives foram a solução mais rápida para manter o meu público e contratantes informados. No primeiro ocorrido, em 15 minutos o meu interfone começou a tocar e chegaram mensagens no meu WhatsApp, então parei com o som”.

Sabe-se que tem sido difícil conciliar casa, filhos, home office, entretenimento e a preocupação com a saúde no isolamento, entretanto todos têm o direito de trabalhar.

“A conversa entre síndico e moradores deve ser clara, podendo haver algum acordo sobre os horários que todos estejam avisados que acontecerá mais barulho, fora isso, é necessário a compreensão dos moradores para aqueles que precisem realizar o home office com atividades que possam gerar ruído, afinal estamos todos diante de uma mesma situação, nos mantendo como podemos”. advogada Sabrina finaliza.

Um caso parecido ocorreu também essa semana com o DJ Alok, que convidado pela rede de televisão Globo, realizou uma live em sua casa e obteve reclamações dos vizinhos.

Fonte: Ricmais

15/05/2020 – Como adaptar imóveis pequenos para o home office

Pensar em fatores como boa iluminação, paredes e decorações neutras, pode ajudar a manter uma boa rotina para quem está passando a quarentena em casas compactas

Manter o isolamento social tem oferecido desafios diários a todos. Ainda mais para quem mora em imóvel pequeno. Precisando manter uma rotina diária em poucos metros quadrados, o regime de home office fica mais complicado se o ambiente não for calmo, organizado e trouxer comodidade.

Portanto, é importante que uma casa tenha a personalidade do morador, para que ele se sinta acolhido e em paz com o ambiente. Uma opção comum é investir em pinturas, objetos de decoração ou então plantas, sendo esta última uma verdadeira moda entre os amantes de urban jungle. Mas de que forma esses fatores ajudam ou atrapalham para quem está trabalhando em casa?

Conversamos com Danilo Vilela, decorador, especialista em design biofílico e diretor de marketing na Vertical Garden, empresa que trabalha com arquitetura e paisagismo. Ele orienta como manter um imóvel agradável em tempos de quarentena.

Confira a entrevista abaixo:

CONSUMIDOR MODERNO: Ter uma boa luz no ambiente é importante? 

DANILO VILELA: A iluminação solar é indispensável em um ambiente saudável. Ela auxilia nosso corpo a promover corretamente o

Ritmo Circadiano, que é um ciclo biológico em que nosso corpo entra em diferentes estágios de acordo com o período do dia – por exemplo, para produzir melatonina no período noturno e estar mentalmente mais desperto no período da manhã. Assim, nada consegue suprir os benefícios que esse contato direto com a luz do sol propicia. Ainda que consigamos atenuar a baixa incidência solar em um ambiente, recomenda-se que em termos de saúde e bem-estar o profissional passe algum tempo no decorrer do dia no ambiente externo, mesmo que sejam apenas alguns minutos de descanso.

CONSUMIDOR MODERNO: Como melhorar a iluminação em apartamentos com pouca luz solar?

Para atenuar a baixa iluminação solar e maximizar a luz em espaços pequenos sugerimos algumas estratégias. É recomendável, por exemplo, que paredes e superfícies de móveis tenham cores em tons claros, pois refletem melhor a luz e dão a sensação de amplitude comparada a texturas com cores escuras. Outra dica é fazer uso da iluminação artificial com lâmpadas de tonalidade branca neutra ou 4.000k (kelvins) com iluminação indireta, de preferência, para não refletir na tela do computador.

Lâmpadas de cores amareladas tornam o ambiente aconchegante, mas podem nos deixar menos dispostos para o trabalho e devem ser utilizadas como auxiliares no ambiente, como pontos focais de destaque, abajures ou em sancas. Já as lambadas de cores Branco Frio 6.000k (kelvins) reproduzem uma luz com brilho maior e nosso organismo tem dificuldade em cumprir seu ciclo circadiano (ou relaxar) após grande exposição a ela, como pode acontecer no home office.

CM: As cores da parede podem ajudar na concentração? Em quais investir?

DV: De modo geral, cores mais frias e sóbrias como azul, verde, violeta tendem a nos estimular a tarefas de concentração enquanto as cores quentes (amarelo, vermelho, laranja) nos estimulam a atividades físicas e criativas.

Cores em seu matiz mais saturada ou as chamadas “cores vivas” dificultam a concentração. Para o uso de cores em home office, uma boa prática é manter as superfícies maiores em tons neutros como paredes e mobiliários e utilizar vasos com flores e plantas para trazer cor ao espaço. O verde, aliás, está no centro do círculo cromático e combina tanto com cores quentes como frias. Ou mesmo o toque de cor com orquídeas e outras flores podem fazer grande diferença no bem-estar sem abrir mão da concentração.

CM: Como escolher um espaço para o trabalho remoto? 

DV: Talvez o ponto mais importante na hora de escolher o espaço adequado para seu home office seja analisar se o local oferece a ergonomia adequada ao trabalho. Alguns pontos para serem considerados são: ter uma cadeira com regulagem de altura, descanso de braços e encosto adaptado para o conforto da coluna (cadeira própria para escritório); optar, se possível, por uma mesa cuja superfície não seja muito refletiva e tenha espaço suficiente para que o notebook e o teclado fiquem de frente para a cadeira. Um apoio para os pés também ajuda bastante.

Sabemos que é difícil reunir todas essas premissas, mas é importante fazer o possível para que o local escolhido para o home office permita que mantenhamos uma boa postura. Para quem tem mais do que uma opção, a melhor escolha é a que a pessoa se sentir melhor, seja com um ponto focal ou várias composições menores.

CM: Como organizar e deixar uma casa pequena mais harmoniosa para o home office?

DV:É comum não termos um local adequado para organizar grande quantidade de papeis, materiais para trabalho, documentos e outros itens comuns do nosso escritório em um local adequado no home office, afinal, muitos desses espaços que hoje utilizamos não estavam preparados para ser nosso posto de trabalho principal.

Mas, a organização é muito importante, pois cria uma amplitude espacial ao local. Você não precisa investir muito: aposte em itens como caixas organizadoras, gaveteiros e prateleiras. Você já notará uma grande diferença, terá um espaço mais harmonioso, encontrará o que precisa com mais facilidade e tudo isso contribui para maior produtividade e também uma sensação de mais bem-estar. Se houver uma parede adequada, pode-se também utilizar espelhos para ampliar o espaço, mas tome cuidado para não colocá-lo em um lugar onde os reflexos de luz ofusquem os olhos ou mesmo reflitam diretamente na tela do computador. Teste antes de fazer a fixação do espelho.

CM: Com o isolamento social, muitas pessoas estão precisando cozinhar em casa. A maioria das kitnets possuem um espaço muito pequeno destinado à cozinha. Qual a melhor forma de adaptar e deixar o espaço mais confortável?

DV: A organização do espaço, manter uma base de cores  e boa iluminação são sempre fatores funcionais para ambientes pequenos e funcionam bem, de forma geral. Se desfazer de itens que não estejam em uso, reorganizar o armário e, se necessário, incluir prateleiras ou ganchos na parede da cozinha que viabilize pendurar itens de uso mais constante.

CM: Ter plantas em casa podem ajudar no momento de quarentena?

Com certeza! É importante destacar que as vegetações nos trazem conforto estético e acústico, além de ter importância emocional e psicológica imensas para o nosso organismo. Pesquisas como da Universidade de Chibra, no Japão, mostraram a relevância do contato com o verde para o nosso organismo: redução de índices de cortisol em 16% (hormônio relacionado ao estresse), 4% na frequência cardíaca e 2% na pressão arterial são alguns exemplos.

Colocar vasos grandes, pequenos, jardins verticais ou elementos pendentes podem causar um impacto bastante positivo nessa época de isolamento e ansiedade que a humanidade está passando. Algumas plantas que se desenvolvem bem no ambiente interno são as jiboias, zamioculcas, Espada de São Jorge, orquídeas e outras. Vale também entender as plantas Naturais Preservadas e o Musgo Moss escandinavo que dispensam manutenção e não precisam de iluminação natural e têm sido muito utilizadas em ambientes corporativos e escritórios.

Fonte: Consumidor moderno

17/04/2020 – Posso trabalhar no meu apartamento?

Há muitas dúvidas sobre home office em condomínios. Veja a resposta para as mais comuns.

 

Em tempos de coronavírus, quarentena e isolamento social, muito mais gente precisa fazer home office em condomínio.

E aí surgem dúvidas diversas que são comuns também quando não há uma pandemia.

Posso trabalhar no meu apartamento? Posso vender comida no meu apartamento?

 

Pode fazer comércio em apartamento? Posso atender clientes?

 

Os limites do home office em condomínio

 

Vamos responder estas questões e mostrar o que pode e o que não pode exercer como trabalho em condomínio.

 

O tema suscita ainda mais discussões conforme aumenta o número de pessoas se formalizando como MEI — Microempresário Individual — e trabalhando em casa como funcionário contratado por empresa que permite o home office.

O formato de trabalho em casa ganha certos limites porque é muito polêmica a questão de se trabalhar com toda e qualquer atividade e receber clientes em casa, abrindo vulnerabilidades de segurança, barulho, uso elevado de elevador e áreas comuns.

Imagine um morador que dá aulas particulares de idiomas o dia todo.

Se a cada uma hora, ele receber dois alunos, serão 20 pessoas circulando a mais, diariamente no condomínio.

Isso se ele atuar somente no horário comercial e com uma hora de almoço.

Neste exemplo específico, o entra e sai de alunos pode ir até 22 ou 23 horas.

Complicado.

 

Posso trabalhar no meu apartamento?

Sim, desde que não haja desrespeito ao Código Civil, que no seu artigo 1.336 diz que é um dever do condômino “dar às suas partes a mesma destinação que tem a edificação (se comercial ou residencial), e não a utilizar de maneira prejudicial ao sossego, salubridade e segurança de todos.

 

Ou seja, se sua atividade não atrapalhar o sossego dos demais, não oferecer risco à saúde e acompanhar regras de segurança e bons costumes relacionados à vida condominial, não deverá haver maiores problemas.

Tudo depende muito do tipo de trabalho que é exercido.

Muitas tarefas podem ser feitas online, bastando um desktop, notebook, tablet ou mesmo aparelho celular.

O profissional atua de forma isolada, sem receber ninguém ou causar mudança de rotina no condomínio.

 

Posso vender comida no meu apartamento?

Já montar uma cozinha para entrega de fast food ou ter outra atuação no ramo de alimentação pode render bastante controvérsia.

Afinal, envolve barulhos, odores diversos, equipamentos específicos e diferentes daqueles de uso doméstico.

Isso sem contar com o “vuco-vuco” causado pela entrada e saída de grandes quantidades de ingredientes necessários, pacotes, vai e vem de pedidos de encomendas e entregadores.

Nestes casos, cabe avaliação e rédeas curtas por parte do síndico e conselho do condomínio.

Especialmente importante essa avaliação em condomínios onde a luz, água e/ou gás são rateados pelo número de apartamentos, e não individualizados, já que o consumo nestes casos é muito maior, e pode causar prejuízos aos demais moradores.

 

Posso fazer comércio e receber/atender clientes no meu apartamento?

A princípio, não. E a razão é simples.

Esta prática pode aumentar bastante a frequência de público desconhecido no condomínio.

O que põe em risco a segurança de todos os moradores.

Há ainda um acréscimo das despesas gerais.

Como já dissemos, em decorrência o maior uso de elevadores, energia elétrica e maior necessidade de funcionários para dar conta da limpeza mais frequente, por exemplo.

Do atendimento ao público à utilização profissional de áreas comuns é um passo.

Uma vez permitida a entrada de clientes, o uso do salão de festas, por exemplo, para demonstrar produtos ou ministrar curso profissional ou palestra pode também virar uma realidade.

Abre-se precedente.

 

Home office em condomínio: Como chegar a uma conclusão sobre o que pode e agir

Como vimos até aqui, também vai muito do entendimento e bom senso dos moradores a decisão sobre o que pode e o que não pode.

 

Se não houver acordo sobre o exercício de alguma atividade profissional home office, o ideal é ter um parecer sobre se está havendo o descumprimento de regra essencial que é poder usar um imóvel residencial em condomínio sem atrapalhar a tranquilidade, a paz, a harmonia e segurança dos demais.

Síndico, conselho e moradores devem ficar de olho também na convenção do condomínio para ver se há alguma proibição quanto ao uso das unidades para fins comerciais.

Em caso positivo e insistência de condômino em atividade não permitida, ele pode ser notificado sob pena de medida judicial cabível.

 

Fonte: Viva o condomínio

07/04/2020 – Isolamento social traz preocupações com a saúde mental

O isolamento social para conter a disseminação do coronavírus pode acarretar em outros problemas, como stress, depressão e ansiedade. Por isso, ao manter o distanciamento social é preciso tomar alguns cuidados.

 

No Brasil temos a tradição de manter o contato físico para nos cumprimentarmos, de estarmos reunidos, a cultura da aproximação. Assim, o afastamento social tem sido um desafio e um momento para repensarmos nossas atitudes e hábitos, afirmou a superintendente de Saúde Mental da SES-GO, Candice Rezende.

 

Evite excesso de informação

Neste momento de isolamento social, as pessoas devem evitar o excesso de informações. Por exemplo, o indivíduo deve limitar a quantidade de noticiários que acompanha no dia. A repetição constante das informações e o exagero ou falsas notícias podem deixar a pessoa em estado mental de constante alerta, prejudicando o relaxamento e a capacidade de discernimento.

Procure ocupações

Procure manter a mente ocupada durante o período de isolamento social. Busque aprender uma nova atividade, leia um livro, faça um curso virtual, ligue para amigos e familiares, teste novas receitas, entre outras coisas.

Realize atividade física

Hoje em dia, a internet disponibiliza vários matérias para se exercitar sem sair de casa. A atividade física ajuda a promover a sensação de bem-estar, assim como melhora o funcionamento de todo organismo.

Evite pensamentos negativos

As pessoas devem buscar coisas para ocupar a mente, evitando pensamentos negativos. Adote medidas de autocuidado, como hidratar o cabelo, corte e faça as unhas.

O importante é voltar atenção para o autocuidado físico e mental durante o isolamento social.

Home office

Para obter melhor resultado trabalhando em casa, crie uma agenda e rotina para seu trabalho. Escolha um cômodo tranquilo para realização das atividades e estabeleça um cronograma para executar pausas.

 

Fonte: Eu quero investir

24/03/2020 – Governo Federal edita medida provisória flexibilizando regras de natureza trabalhista

A necessidade de ajustar as condições de trabalho, nesse momento de enfrentamento do estado de calamidade pública decorrente da disseminação do contágio do coronavírus, que nos tem obrigado isolamento social, é uma medida que visa, principalmente, a manutenção dos empregos.

Conforme divulgado na mídia, o governo federal editou a Medida Provisória nº 927, que foi publicada na noite de 22/03/2020, dispondo sobre medidas trabalhistas que poderão ser adotadas pelos empregadores, algumas por iniciativa exclusiva do empregador, outras mediante acordo individual com o empregado.

As alternativas apresentadas decorrem do estado de calamidade pública em decorrência do coronavírus, constituindo-se como hipótese de força maior, nos termos do artigo 501, da CLT.

MEDIDAS QUE PODERÃO SER TOMADAS PELO EMPREGADOR, SEM A NECESSIDADE DE ACORDO COM O EMPREGADO

-Teletrabalho – home office

-Alterar o regime de trabalho presencial para o teletrabalho, o trabalho remoto ou outro tipo de trabalho a distância e determinar o retorno ao regime de trabalho presencial, independentemente da existência de acordos individuais ou coletivos, dispensado o registro prévio da alteração no contrato individual de trabalho.

-Comunicação ao empregado com antecedência de, no mínimo, 48 horas, por escrito ou por meio eletrônico;

-Antecipação de férias individuais

-O empregador informará ao empregado sobre a antecipação de suas férias com antecedência de, no mínimo, quarenta e oito horas, por escrito ou por meio eletrônico, com a indicação do período a ser gozado pelo empregado.

-Período de gozo de férias não poderá ser inferior a 05 dias;

-Possibilidade de concessão de férias, ainda que incompleto o período aquisitivo;

-Possibilidade de pagamento do adicional de 1/3 de férias até 20/12/2020;

-O abono pecuniário solicitado pelo empregado será concedido a critério do empregador;

-O pagamento da remuneração das férias poderá ser efetuado até o 5º dia útil do mês seguinte ao início do gozo das férias;

-Prioridade de gozo de férias aos trabalhadores que pertencem ao grupo de risco (idosos, diabéticos, asmáticos, hipertensos, pessoas com problemas no coração, doentes renais e fumantes) do coronavírus (covid-19).

-Concessão de férias coletivas

-O empregador poderá conceder férias coletivas, notificando o conjunto de empregados afetados com antecedência de, no mínimo, quarenta e oito horas, não aplicáveis o limite máximo de períodos anuais e o limite mínimo de dias corridos previstos na CLT

-Dispensada a comunicação prévia ao Ministério da Economia (antes feita ao Ministério do Trabalho) e ao sindicato profissional.

-Antecipação do gozo de feriados não religiosos

-Os empregadores poderão antecipar o gozo de feriados não religiosos federais, estaduais, distritais e municipais;

-Comunicação aos empregados por escrito ou meio eletrônico, com antecedência 48 horas;

-Expressa indicação dos feriados aproveitados.

-Possibilidade de compensação do trabalho nos dias de feriados no saldo do banco de horas;

MEDIDAS QUE PODERÃO SER TOMADAS PELO EMPREGADOR, MEDIANTE PRÉVIO ACORDO COM O EMPREGADO

-Banco de horas

-Possibilidade de interrupção das atividades pelo empregador, mediante compensação por meio do banco de horas, no prazo de até dezoito meses, contado da data de encerramento do estado de calamidade pública.

-A compensação de tempo para recuperação do período interrompido poderá ser feita mediante prorrogação de jornada em até duas horas, que não poderá exceder dez horas diárias.

-A compensação do saldo de horas poderá ser determinada pelo empregador independentemente de convenção coletiva ou acordo individual ou coletivo.

-O acordo poderá ser individual ou coletivo;

-Antecipação do gozo de feriados religiosos dependerá de concordância do empregado, por acordo individual escrito.

A Medida Provisória apresenta, ainda, outros dispositivos relevantes.

-Os casos de contaminação pelo coronavírus não serão considerados ocupacionais, salvo se comprovada a vinculação com o trabalho;

-A aplicação da Medida Provisória se estende ao trabalho temporário.

-As medidas trabalhistas adotadas por empregadores que não contrariem o disposto na Medida Provisória, tomadas no período dos trinta dias anteriores à data de entrada em vigor da Medida Provisória, consideram-se convalidadas.

 

-Dos Programas de Medicina do Trabalho e saúde do trabalhador

-Suspensão dos exames médicos, exceto o demissional;

-Prazo de realização após o encerramento do estado de calamidade pública – 60 dias;

-Dispensa do exame demissional caso o exame anterior tenha sido realizado há menos de 80 dias;

-Suspensão de treinamentos previstos em normas regulamentadoras de segurança e saúde no trabalho, os quais serão retomados 90 dias após encerramento do estado de calamidade pública;

-Possibilidade de treinamento à distância, por EAD;

-Manutenção das atuais CIPAs – Comissões Internas de Prevenção e Acidentes até o encerramento do estado de calamidade, suspendendo os processos eleitorais em curso.

-Do FGTS

-Suspensa a exigibilidade do recolhimento do FGTS referente às competências de março, abril e maio de 2020, que poderão ser feitos em até 6 parcelas com vencimento no 7 dia de cada mês, a partir de julho de 2020;

-Para usufruir do parcelamento, o empregador deverá declarar as informações até 20/06/2020 (declarar à Secretaria da Receita Federal do Brasil e ao Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS, na forma, prazo e condições estabelecidos por esses órgãos, dados relacionados a fatos geradores, base de cálculo e valores devidos da contribuição previdenciária e outras informações de interesse do INSS ou do Conselho Curador do FGTS);

-Consequências do não envio da declaração: os valores não declarados serão considerados em atraso, com obrigação do pagamento integral da multa e dos encargos devidos.

Lembramos que a eficácia de uma medida provisória é de sessenta dias, prorrogáveis, uma única vez, por igual período. Assim decorridos 120 dias, se não convertida em lei, perde a vigência, desde a sua edição, ou seja, com efeitos retroativos, conforme expresso no § 3º do art. 62, da Constituição Federal.

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 927, DE 22 DE MARÇO DE 2020

 

Fonte: Secovi Rio