08/10/2019 – Funções de um supervisor de segurança no condomínio

O supervisor de segurança no condomínio é o profissional responsável por coordenar as equipes de campo e garantir que os procedimentos operacionais sejam cumpridos. Grandes condomínios precisam da figura de um líder para tratar com os funcionários e suas diferentes funções, engajando-os no cumprimento das tarefas.

O bom relacionamento do supervisor de segurança com as pessoas é essencial. Isso porque a maioria dos problemas de segurança em um condomínio está relacionado a falhas humanas, ou seja, provavelmente alguém não cumpriu os procedimentos de segurança.

Diferente do gerente, que atua em tarefas administrativas, o supervisor de segurança é alguém mais próximo da execução. É interessante que a pessoa contratada para o cargo tenha experiência nas atividades que irá coordenar. Como atuará como mentor, precisa conhecer a fundo as dificuldades de cada função, bem como o modo correto de tratar e motivar os demais funcionários.

A seguir, detalhamos algumas funções de um supervisor de segurança do condomínio:

5 Funções de um supervisor de segurança no condomínio

O mínimo que o supervisor de segurança deve ter é o conhecimento total dos equipamentos e respectivas tecnologias. Além disso, também deve dominar os procedimentos de segurança dentro do condomínio. Esse é o básico. Listamos, a seguir, outras funções específicas do supervisor de segurança do condomínio.

Elaborar e zelar pelo cumprimento de regras

Caso o condomínio não possua o conjunto de normas de segurança descritos no manual, é função do supervisor de segurança participar ativamente da elaboração. Ele é um dos atores principais nesse processo, pois ao mesmo tempo em que pensa estrategicamente e compreende o ponto de vista administrativo do condomínio, também conhece as dificuldades práticas.

Com um documento que está bem próximo da realidade, fica muito mais fácil exigir o cumprimento do que foi acordado. Qualquer deslize no dia a dia é de responsabilidade do supervisor e cabe à ele chamar a atenção de quem permitiu a brecha na segurança.

Delegar tarefas

Na rotina de segurança de um condomínio, surgem diversas tarefas além do esperado. É papel do supervisor de segurança determinar quem as executará, bem como o prazo para a entrega. O mesmo vale para escalas de plantão, gerenciamento de folgas e atestados médicos. Por mais que não seja a função do supervisor encaminhar a documentação em casos como esses, é importante que ele aja em parceria com o gerente para encontrar soluções provisórias para o desfalque da equipe.

Atender os condôminos

É função do supervisor de segurança do condomínio ser o ponto de referência dos moradores. Por estar próximo, conhecer a fundo a rotina e entender da parte administrativa e operacional, é a pessoa ideal para solucionar conflitos e agir em prol do cumprimento das regras. O ideal é que os problemas sejam resolvidos internamente, sem a necessidade de repassar aos superiores. Porém, caso seja necessário, cabe ao supervisor fazer essa ponte.

É importante ressaltar que a função de liderança do supervisor deve estar clara para todos os moradores. Caso contrário, o condômino acaba não sabendo a quem recorrer e se sente desamparado quando há algum problema. Quando tem a quem recorrer, aumentam a sensação de segurança e o êxito da equipe como um todo.

Ser o porta-voz da equipe

Assim como o supervisor de segurança do condomínio deve ser o ponto de referência dos moradores, ele também precisa ser a pessoa na qual a equipe pode confiar. Caso algum problema recorrente ocorra, cabe a ele ouvir e reportar aos superiores. Também é desejável que ele observe se algum dos funcionários está com um desempenho aquém do esperado, procure saber o que está acontecendo e o ajude a encontrar uma solução.

É por isso que é tão importante nomear um supervisor que tenha a característica da liderança. Cabe a ele conhecer cada um dos funcionários, motivá-los e agir para que todos trabalhem em alta performance.

Elaborar relatórios

A partir de todos os dados coletados no dia a dia, é fundamental que o supervisor de segurança do condomínio tenha o hábito de enviar relatórios aos supervisores periodicamente. Tal prática ajuda os administradores a compreender se as atitudes tomadas estão surtindo efeito, uma vez que eles não acompanham tão de perto a rotina do condomínio . Isso ajuda a melhorar as decisões sobre a segurança do local. O documento pode ser simples, mas deve conter informações como: relatos de problemas vindos de moradores ou funcionários, ocorrências, problemas estruturais, necessidades de pequenos reparos em itens de segurança, entre outras informações.

Lembre-se de que, acima de tudo, o supervisor de segurança do condomínio deve ser um líder e atuar para que as regras sejam cumpridas. O mais importante é que o maior objetivo — a segurança — seja alcançado.

Fonte: Blog Intelbras 

25/09/2019 – Encargos do condomínio

Entenda e saiba quais são os principais encargos e tributos presentes na gestão de condomínios

administração do condomínio tem sua complexidade aumentada periodicamente. Por isso é tão comum compararmos a gestão de um condomínio com a de uma pequena ou média empresa.

Os cuidados com encargos e tributos que o condomínio é uma parte das atribuições da administradora, empresa parceira que colabora com o síndico. Porém, é fundamental que o gestor acompanhe de perto o trabalho – e também conheça o que deve ser feito pela parceira.

Em breve, porém, esses pagamentos e muitos outros serão feitos via sistema e-Social em conjunto com o EFD Reinf (Escrituração Fiscal Digital de Retenções e Outras Informações Fiscais) e ficará mais simples para o síndico acompanhar. Por enquanto, elencamos abaixo os encargos e tributos que o condomínio deve pagar, confira!

INSS DO SÍNDICO

Explicação

É obrigatório o recolhimento, como contribuinte individual – mesmo que o síndico receba apenas isenção de taxa, pro-labore ou ajuda de custo. Se o síndico não recebe qualquer ajuda de custo, não há o que recolher.

Quanto

O condomínio deve recolher 20% sobre o valor da taxa de que o síndico é isento ou do valor que recebe; sem limitação. Também deve-se reter 11% do recebido pelo síndico, ainda que em forma de isenção da taxa condominial, de acordo com  o fator máximo do salário de contribuição previdenciário.

Quando

A contribuição mensal vence no dia 20 do mês seguinte. Por exemplo, a competência (mês) julho vence no dia 20 de agosto. Se o dia 20 cair no sábado, domingo ou feriado, o recolhimento deve ser antecipado para o dia útil anterior.

Como

GPS mediante débito em conta comandado por meio da internet ou por aplicativos eletrônicos disponibilizados pelos bancos.

FUNCIONÁRIOS – ENCARGOS

Explicação

Os funcionários devem ser registrados em carteira e receber com seus salários os benefícios previstos em lei e nas Convenções Coletivas da sua região, como  vale-transporte, salário-família, cesta básica  e outros . Sobre a folha de pagamento de empregados há incidência de encargos previdenciários, FGTS e PIS.

Quanto

Os valores dos benefícios previstos na convenção coletiva de trabalho devem ser consultados no documento aplicável à cidade do condomínio.

As contribuições  previdenciárias incidentes sobre a folha de pagamento de empregados são devidas nos percentuais de 20% (a título de contribuição previdenciária), Seguro Acidente de Trabalho (percentual variável para cada condomínio em razão do Fator Acidentário de Prevenção – FAP, divulgado anualmente no site do Ministério da Previdência Social) mais 4,5% a título de outras entidades e fundos). O FGTS equivale a 8% da remuneração do empregado e o PIS a 1% da folha de salários. Mais informações e legislação sobre benefícios e contribuições previdenciárias podem ser consultadas no Site do Ministério da Previdência.

Quando

Quando o pagamento houver sido estipulado por mês, deverá ser efetuado até o quinto dia útil do mês seguinte ao vencido.

As contribuições previdenciárias devem ser recolhidas no dia 20 do mês seguinte ao da competência ou dia útil anterior, se não houver expediente bancário no dia 20. O FGTS deve ser recolhido até o dia 7 do mês seguinte àquele em que a remuneração foi paga, creditada ou se tornou devida ao trabalhador. Caso não haja expediente bancário no dia 7, a entrega deverá ser antecipada para o dia de expediente bancário imediatamente anterior.

O PIS deverá ser recolhido até o 25º (vigésimo quinto) dia do mês subsequente ao de ocorrência dos fatos geradores, antecipando-se o recolhimento para o primeiro dia útil que o anteceder se no dia de vencimento não houver expediente bancário.

Como

Contribuições previdenciárias via GPS mediante débito em conta, comandado por meio da internet ou por aplicativos eletrônicos disponibilizados pelos bancos .  FGTS via GRF (Guia de Recolhimento do FGTS )   e o PIS folha de salários via DARF.

EMPRESAS – ENCARGOS

Explicação

Retenção de valores para INSS e PIS/COFINS/CSLL e ISS quando da contratação de empresas prestadoras de serviços.

Quanto

Nos casos de prestação de serviços mediante cessão ou empreitada de mão de obra, deve-se reter 11% sobre o total da Nota Fiscal ou recibo emitido, a título de retenção da Previdência Social, exceto, o caso em que a empresa não tiver funcionários, o serviço for prestado pelo próprio sócio e o faturamento do mês anterior for igual ou inferior a duas vezes o limite máximo do salário contribuição.

Neste caso, mediante declaração em papel timbrado assinado pelo representante legal, não há retenção. Os condomínios são também obrigados a fazer os recolhimentos de PIS, CSLL e COFINS devidos por todos os serviços que contratem, cujo valor fique acima de R$ 5.000,00, a saber:

  • 1% – CSLL
  • 3% – COFINS
  • 0,65% – PIS/PASEP

Se a empresa prestadora for optante pelo SIMPLES, ela será isenta do recolhimento dos 4,65% de PIS/COFINS/CSLL. Se a empresa emitir mais de uma Nota Fiscal dentro do mesmo mês e o valor da soma das Notas Fiscais for superior a R$ 215,00, a saber:

Se a empresa prestadora for optante pelo SIMPLES, ela será isenta do recolhimento dos 4,65% de PIS/COFINS/CSLL.

Vencimentos 

INSS: através de GPS, com o código 2631. PIS/COFINS/CSLL: a contribuição é recolhida no DARF (Documento de Arrecadação da Receita Federal) mediante o código 5952.

Vencimentos

ISS – Todo dia 10 do mês subsequente a emissão da NF

CSRF – Todo dia 20 do mês subsequente ao pagamento do Serviço Tomado

INSS – Todo dia 20 do mês subsequente a emissão da NF

AUTÔNOMOS – ENCARGOS

Explicação

Sobre os valores pagos a pessoas física contratadas para prestação de serviços sem vínculo empregatício há incidência de contribuição previdenciária, tanto em relação ao contratante como do contratado. Quanto ao ISS (Imposto Sobre Serviços),  é preciso consultar a  legislação municipal  para saber da  obrigatoriedade ou não de retenção de tal imposto: depende da função em que o autônomo está cadastrado no CCM (Cadastro de Contribuintes Municipais Autônomos). Sobre os valores pagosa trabalhadores autônomos não  há  recolhimento de  FGTS.

Quanto

A contribuição previdenciária a cargo do condomínio é de 20% calculado sobre o valor pago, sem limite máximo. Além disso, o condomínio deve arrecadar, mediante desconto, e recolher a contribuição previdenciária a cargo do contribuinte individual (antigo autônomo) a seu serviço, 11%, observado o limite máximo do salário de contribuição previdenciário.

Quando

A contribuição previdenciária deve ser recolhida até o dia 20 do mês seguinte ao da competência, devendo o recolhimento ser antecipado caso não haja expediente bancário no dia 20, na mesma guia (GPS) na qual o condomínio recolherá os demais encargos previdenciários sob sua responsabilidade.

Observação

Além do contrato deve-se exigir do contratado o RPA, Recibo de Profissional Autônomo, documento que comprova o pagamento.

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL PATRONAL

Explicação

Pagamento ao sindicato patronal de condomínios da sua região, caso o funcionário autorize. O sindicato tem o dever, entre outros, de estabelecer conjuntamente com o sindicato dos funcionários de condomínios da região a Convenção Coletiva, renovada anualmente.

Quanto

Para os condomínios, por não terem fins lucrativos, o governo estipula o valor da contribuição mínima. Verifique no site do Ministério do Trabalho.

Quando

Art. 587. Os empregadores que optarem pelo recolhimento da contribuição sindical deverão fazê-lo no mês de janeiro de cada ano, ou, para os que venham a se estabelecer após o referido mês, na ocasião em que requererem às repartições o registro ou a licença para o exercício da respectiva atividade  Lei nº 13.467/2017.

Como

O recolhimento deve ser feito na Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil ou em estabelecimentos bancários nacionais, integrantes do Sistema de Arrecadação de Tributos Federais, através de Guia de Recolhimento da Contribuição Sindical (GRCS) – ou em guia fornecida gratuitamente pelo sindicato da respectiva categoria Até a data do vencimento, pode ser pago nas lotéricas cadastradas na CEF.

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL FUNCIONÁRIOS

Explicação

Pagamento ao sindicato dos funcionários de condomínios da sua região, se o funcionário autorizar, nos moldes da lei 13.467/2017, art 578:

“As contribuições devidas aos sindicatos pelos participantes das categorias econômicas ou profissionais ou das profissões liberais representadas pelas referidas entidades serão, sob a denominação de contribuição sindical, pagas, recolhidas e aplicadas na forma estabelecida neste capítulo, desde que prévia e expressamente autorizadas”.

Quanto

Consiste na importância correspondente à remuneração de 1 (um) dia de trabalho para os empregados.

Quando

Recolhida no mês de março e paga até o fim de abril.

Como

O recolhimento deve ser feito na Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil ou em estabelecimentos bancários nacionais, integrantes do Sistema de Arrecadação de Tributos Federais, através de Guia de Recolhimento da Contribuição Sindical (GRCS) – ou em guia fornecida gratuitamente pelo sindicato da respectiva categoria. Até a data do vencimento, pode ser pago nas lotéricas cadastradas na CEF.

IMPOSTO DE RENDA

Explicação

Condomínios não pagam nem declaram Imposto de Renda próprio. Devem apenas reter na fonte e declarar anualmente o IR retido dos seus funcionários.

Quanto

Verificar alíquotas no Site da Receita Federal.

Quando

Os valores retidos devem ser pagos segundo calendário mensal estipulado pela Receita Federal. Anualmente, deve ser entregue a DIRF, Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte. Confira a data prevista no site da Receita Federal.

Como

Na DIRF, declaram-se os rendimentos com retenção dos funcionários, autônomos  (valores a partir de R$ 6 mil por ano) e empresas contratadas.

COOPERATIVAS

  • Alíquota de recolhimento é de 15%;
  • Como entidades do tipo não sofrem retenção, é o condomínio quem deve fazer o recolhimento. Sua única obrigação é o CSLL, de 1%;
  • Importante ressaltar que contratações usando cooperativas devem ser vistas com cautela, principalmente as relacionadas à contratação de mão-de-obra.

Fonte: SíndicoNet e Fontes consultadas: Gabriel Karpat (diretor da na área de administração de condomínio); Omar Anauate (diretor da AABIC); Patricia Marina (departamento de Recursos Humanos na área de administração de condomínio); Wellington de Oliveira (departamento de contas a pagar na área de administração de condomínio).