28/12/2020 – Atividades para as férias da criançada!

O ano letivo foi bem diferente em 2020, não foi? Para muitas crianças, a volta às aulas presenciais ocorreu apenas no final do ano e bem próxima às festas de Natal e Ano Novo. Essa falta de contato com os colegas, em razão do isolamento social (que ainda é muito aconselhável), deixou a criançada inventando novas formas de se divertir dentro de casa. Para ajudá-los a planejar atividades divertidas nesse recesso de fim de ano, separamos algumas ideias e dicas:

Tire um tempo para atividades em grupo

Podendo juntar a família e criar memórias, não tem nada melhor do que colocar a mão na massa. Literalmente! Por que não criar uma noite da pizza, fazendo tudo do zero, desde a massa aos sabores e toppings escolhidos? Agora, caso a pizza não seja muito a cara da família, tem opções para todos os gostos: noite mexicana (com tacos, nachos e burritos), dia do sorvete (selecionem frutas frescas e façam o sorvete natural, deixando no freezer durante o dia) ou até mesmo noite do cupcake (com diferentes sabores, cores e decorações).

Contato com os amiguinhos

É fundamental que os pequenos não percam o contato com seus amigos de escola, prédio ou de outros lugares. Escolha uma plataforma online (Zoom e Google Meet são boas escolhas) e crie uma sala para conversarem ou jogarem jogos juntos – aí, essa parte vai da criatividade: adedanha, mímica ou forca são boas opções.

A internet pode ser aliada da diversão

O controle parental é fundamental para evitar que as crianças utilizem e acessem partes da internet não muito recomendadas. Entretanto, é por ela também onde podem ser encontrados inúmeros materiais de qualidade para o crescimento e entretenimento, afinal já vivemos num mundo digital. Canais do YouTube educativos ou de desenhos animados, podcasts com curiosidades e até jogos de tabuleiro online podem ocupar a mente positivamente. Mas não se esqueça dos limites de horário, mesmo em férias!


E aí, gostou de alguma das ideias que apresentamos? Aqui, na Zirtaeb, procuramos sempre postar conteúdos relevantes e que sejam úteis ao seu dia a dia doméstico ou condominial. Fique de olho no nosso blog e em nossas redes sociais (Instagram, Facebook e LinkedIn), para não perder nada que postamos. Boas férias para a criançada!

10/02/2020 – Férias do síndico: O que deixar organizado?

O início do ano é a época que muitas pessoas tiram férias para viajar e o síndico também pode optar por tirar alguns dias para visitar parentes distantes ou conhecer outras cidades. Porém, ele deve organizar a administração do condomínio antes de partir e, principalmente, deixar um responsável para representar o prédio nesse ínterim, como dar as orientações ao zelador.

 

A primeira providência que deve ser tomada é realizar uma reunião com o subsíndico e conselheiros. Se o edifício for assessorado por uma empresa administradora de condomínios, também é importante marcar um encontro para discutir as ações do período em que estiver afastado. Se for por apenas alguns dias, o síndico pode apenas dar as orientações, mas, se ficar fora por cerca de 10 ou mais, deve nomear um substituto temporário, que deve ser primeiramente o subsíndico, se o prédio não contar com a figura deve ser escolhido um dos conselheiros. É interessante elaborar um documento com firma reconhecida para comprovar a nomeação, pois durante o período o indicado pode precisar representar o condomínio em audiência na Justiça.

 

O síndico deve passar para quem se responsabilizar pelo prédio informações sobre pagamentos que devem ser realizados no período, deixar uma cópia da convenção, entregar algum contato seu para emergência e as chaves que dão acesso ao motor de água e a caixa de luz do prédio, que também pode ficar com o zelador. É importante informar para o substituto sobre as datas dos pagamentos que devem ser feitos no período ou, se possível, antecipá-las. Também é necessário verificar se algum dos empregados tem férias para tirar no período para deixar a papelada pronta.

 

Ao zelador, cabe ao síndico deixar os números de telefones de empresas de manutenção, polícia, bombeiros e da administradora. Além disso, lembrá-lo que essa é a época em que mais ocorrem infrações contra as regras de convivência, como barulho após as 10h, e que ele deve estar atento e dirigir a informação ao representante temporário do condomínio. Depois desses despachos, o síndico pode sair tranqüilo e aproveitar os seus dias de descanso.

 

Fonte: Condomínio SC

24/01/2020- 2020 chegou e as férias escolares também!

O período de Janeiro é repleto de coisas boas… verão, calor e férias das crianças! A garotada nesse período só quer brincar, e as áreas comuns do condomínio lotam. 

O início desse recesso, geralmente, é um desafio para o condomínio, devido ao aumento de fluxo de crianças.

 

Pensando nisso, separamos algumas dicas de atividades para esse período:

 

 

  • Aluguel de brinquedos

Os pais e síndico podem chegar a um consenso e adotar a locação de aparelhos, como piscina de bolinhas, cama elástica, tobogã etc. O valor, quando dividido entre os condôminos que têm crianças, não fica alto para ninguém. 

 

  • Organize brincadeiras

Podem ser organizadas atividades como a amarelinha, pular corda, pular elástico, esconde-esconde e queimada. É importante que tenha um responsável no local.

 

  • Aulas de culinária

Reúna as crianças para uma deliciosa aula de culinária no salão de festas. Mas antes, converse com seu síndico.

 

  • Jogos de tabuleiro

Esses jogos exercitam a mente e as crianças adoram! 

 

Agora é só chamar os pequenos e boa diversão!

02/01/2020 – Condomínios: férias exigem um up de segurança

Nas festas e férias de fim de ano, as garagens vazias dos condomínios denunciam a ausência dos moradores.

Há quem emende o Natal só volte para casa no fim de janeiro, outros saem depois, mas voltam só depois do Carnaval. Seja como for, planejar essa ausência é tão importante quanto acertar o roteiro de viagem.

Seguradoras estimam que o número de vazamentos e problemas elétricos aumente até 25%, nesta época do ano, porque as pessoas saem de casa sem fazer a manutenção ou desligar sistemas com risco de curto circuito. Há também o aumento do volume de invasores que podem vandalizar o imóvel e roubar objetos e dinheiro da família ausente. Na dúvida, mantenha o pagamento do seguro, em dia.

Para evitar transtornos, quem mora em uma casa ou sobrado deve ficar atento a regras simples de segurança patrimonial que ajudam a disfarçar a temporada fora de casa. A primeira dica é manter a campainha desligada, porque pessoas mal intencionadas podem usá-la para checar se há pessoas na casa. Luzes acesas o dia todo são uma evidência de casa vazia, então, se não puder contar com temporizadores ou sensores programados de acendimento de luzes externas, peça ajuda de um parente ou vizinho de confiança. A mesma pessoa pode recolher a correspondência e manter a frente da casa em ordem.

Alarmes e sensores de movimento devem ser testados antes de sair de férias. Outra medida preventiva é desligar aparelhos elétricos e eletrônicos da tomada, checar se não há vazamentos (pode-se fechar o registro de água e o de gás), verificar trancas e travas nas portas e janelas. Caso prefira, deixe alguém “morando” na residência até a volta da família.

No condomínio

Também no fim de ano, a movimentação de entrada de pessoas e encomendas nas portarias de prédios e condomínios horizontais aumenta bastante. Há gente nova, familiares e hóspedes dos moradores. Ao mesmo tempo, boa parte dos moradores está fora e, nesse vai e vem de visitantes, há o aumento do risco de invasão de uma ou outra unidade por pessoas que aproveitam a distração dos porteiros ou má fé de funcionários das unidades ou do próprio condomínio.

Especialista em condomínios, Amilton Saraiva afirma que é necessário cuidado redobrado com a entrada de pessoas na portaria. “Os que receberão amigos e familiares em casa devem entregar uma lista na portaria com os nomes, para que sejam melhores identificados, e mesmo assim, quando chegarem devem ser anunciados pelo porteiro”, afirma.

Saraiva destaca ainda que os entregadores não podem ter acesso à área interna se o morador não estiver ou não autorizar.Orientar essa movimentação cabe aos profissionais de portarias que devem estar mais atentos e ser ágeis para impedir que a grande movimentação se torne um risco para o condomínio.

Seja discreto

Uma orientação que cabe à todos, inclusive quem mora me imóveis fora dos condomínios, é manter a discrição. Mantenha a privacidade sobre os detalhes da viagem: local, data de saída ou chegada. A justificativa é que esse tipo de informação pode vazar seja por um comentário de vizinhos ou funcionários da residência. Eles podem, inocentemente, comentar com alguém de fora que pode não ser uma pessoa bem intencionada.

Para quem mora em condomínios, as providências de segurança são as mesmas da residência, mas também é importante avisar o zelador previamente informado e o condômino também deve fazer uma autorização, caso queira que alguma pessoa, ou empregado entre no apartamento ou casa durante a ausência.

Gente de confiança

O profissional de portaria mais antigo conhece a rotina do condomínio e certamente notará a ausência de algum morador, mas um temporário não. Por isso, é recomendável que os porteiros sejam contratados através de empresa terceirizada confiável, que ofereça um treinamento especializado de atendimento, discrição e segurança preventiva.

Saraiva diz ainda que a empresa especializada nesse tipo de mão de obra leva essa particularidade em conta e só vai contratar um substituto depois de verificar o histórico profissional e pessoal do porteiro, inclusive os antecedentes criminais, conduta e indicação. Assim, diminui-se o risco de que uma pessoa com falsas referências seja contratada .

ANTECIPE OS PRINCIPAIS ERROS DE CONDUTA

O aumento no número de assaltos a condomínios e a criatividade dos bandidos têm desafiado não apenas as autoridades, mas quem administra ou guarda residências e condomínios. Para Newton Nunes, diretor de Condomínios, o disfarce tem se tornado uma estratégia frequente. O bandido veste o uniforme de funcionário do condomínio ou de alguma empresa prestadora de serviço, pode se transfigurar de entregador, e vai buscar o acesso mais fácil aos apartamentos. Entregadores de gás, encanadores e até funcionários de organizações de caridade são personagens utilizados, revela. “Orientamos os porteiros sobre a importância de cobrar identificação de todos os entregadores e mensageiros antes de abrir o portão. O responsável pela segurança jamais pode permitir a entrada de desconhecidos antes de pedir autorização para o morador”, explica.

Para facilitar a organização na portaria, Nunes orienta os porteiros para que conheçam todos os moradores e que, quando outras pessoas circularem no condomínio, sejam primeiro liberadas pelos moradores, depois os nomes e documentos de identidade devem ser anotados em um caderno. Isso vale até para qualquer entregador ou profissional que terá acesso ao apartamento. Pode-se até exigir a apresentação do RG.

Os profissionais trabalhando temporariamente no prédio (instaladores, operários, eletricistas, etc.) devem ser identificados e acompanhados por pessoas de confiança, como o zelador ou moradores.

“Os porteiros não devem assumir o papel de herói porque colocam a vida em risco e podem prejudicar mais ainda a segurança dos moradores. Eles devem ter acesso a um telefone para acionar a polícia via 190 ou o sistema de segurança do condomínio”.

Fonte: Viva o Condomínio