26/12/2019 – Atenção redobrada: Uso do elevador durante as férias escolares

No período de férias, aumenta o número de crianças brincando dentro do condomínio e deve aumentar também a atenção dos pais e funcionários. A dor de cabeça dos funcionários de condomínios e do síndico começa no momento em que a criança menor de 10 anos utiliza o elevador sem a companhia de um adulto/responsável.

 

Segundo as normas para elevadores elaborada pela ABNT, é proibida a utilização dos elevadores por crianças menores de 12 anos desacompanhadas. Além disso, na cidade do Rio de Janeiro, a Lei Municipal nº 2.546/97 proíbe a locomoção de menores de 10 anos, se desacompanhados, sob pena de multa ao condomínio.

As crianças não têm maturidade para ficarem sozinhas no elevador, caso ocorra uma pane, elas não saberão contornar a situação e o nervosismo pode tornar o problema maior. É importante destacar que no elevador não se brinca, não deve pular e nem apertar vários botões. Essas brincadeiras danificam o elevador e incomodam outros usuários.

Para evitar problemas no funcionamento dos elevadores é necessário sempre estar de olho na manutenção. Será que está em dia? Um elevador que não possui sua manutenção periódica em dia pode ocasionar acidentes além, é claro, de prejuízos ao condomínio. 

É extremamente importante que os cuidados com a limpeza e a conservação das cabines sejam feitos diariamente. Não somente os funcionários do prédio devem estar atentos às condições de higiene das cabines, como também os moradores devem colaborar, evitando entrar molhados no elevador, além de, obviamente, não descartarem papel ou quaisquer lixos na cabine. As medidas de conservação devem ser feitas com o elevador desligado.

17/12/19 – Dicas para Evitar Acidentes

Gerenciar um condomínio não é tarefa simples, além de se preocupar com as atividades operacionais de rotina, o síndico deve se atentar para o bem estar e o bom relacionamento dos condôminos a fim de manter a harmonia dentro do espaço coletivo.

Afinal, é muito comum o síndico se deparar com as situações mais adversas possíveis.

Confira algumas dicas abaixo:

 

Elevadores

> A manutenção deve ser mensal.

> O desnível entre o andar e o piso do elevador não deve ser maior que 5 centímetros.

> Evitar que crianças menores de 10 anos andem sozinhas no elevador.

> A maior parte dos acidentes com elevadores acontece durante a manutenção, principalmente pela falta de duas providências principais: colocação de placas de advertência no térreo, e desligamento da chave geral, para o elevador não andar enquanto sofre os reparos. Também é uma boa medida pedir para o porteiro comunicar as unidades.

Playground

> Os brinquedos devem ser permanentemente vistoriados, em busca de defeitos nas partes visíveis. Os brinquedos móveis, como gira-gira, balanço e gangorra, merecem maior atenção.

> Deve ser inspecionado, uma vez por ano, por um profissional responsável.

> Deve seguir as normas da ABNT.

> Observar a distância de passagem em frente ao balanço, prevenindo choques.

> Verificar a boa iluminação do local.

> Procurar estabelecer e respeitar os horários para a utilização do playground.

> Crianças menores de 5 anos devem estar acompanhadas de um responsável.

> Não deixar que a criança brinque sozinha no playground, ela pode cair ou machucar-se e não ter ninguém por perto para socorrê-la.

> É bom que as crianças maiores brinquem acompanhadas pelo menos de coleguinhas.

> Evite o uso de areia no piso, pois ela atrai gatos para urinar no local, trazendo riscos à saúde das crianças.

 

Piscina

 

> Mesmo que a piscina seja rasa, apropriada para crianças, não é indicado deixá-las sozinhas no local. (Ver lista de recomendações para os pais).

> Lembre-se de que os funcionários do condomínio não podem ficar tomando conta das crianças na piscina. Por isso, oriente a todos os funcionários para ligarem imediatamente para os pais das crianças que forem encontradas desacompanhadas de adultos no local. Lei nº 9.975 (29/05/98), para o Estado de SP Artigo 1º – Aos administradores das piscinas de uso comum da população incumbe promover exames de controle bacteriano da água, no mínimo uma vez por mês, utilizando-se, sempre, mais de um organismo como indicador Artigo 2º – É obrigatória a pesquisa de algas, leveduras e amebas de vida livre nas piscinas, duas vezes por ano, no mínimo.

 

  Áreas de Acesso Restrito

 

> A caixa d’água deve estar bem vedada. Se possível, deixar fechada as portas de acesso aos equipamentos que ficam no topo do prédio.

> Peça aos funcionários para deixarem trancadas, quando fora de uso, áreas como depósitos, sala de máquinas e casa de barriletes.

 

12/12/2019 – Fiquei preso no elevador, e agora?

Quem é claustrofóbico e até mesmo quem não sofre com lugares totalmente fechados, têm uma coisa em comum: agonia de ficar preso no elevador. Que ninguém quer passar pela experiência é fato, mas também é uma verdade que pode acontecer com qualquer um e, se acontecer, o que fazer?!

A primeira regra é não se apavorar. A maioria das pessoas acredita que o elevador é totalmente vedado, mas a realidade é que ele tem espaços por onde o ar entra, por isso, se acontecer de você ficar preso no elevador, controle a sua respiração e fale pouco.

Se você estiver preso no elevador com outras pessoas, acalme-as e oriente-as a fazer a mesma coisa.

Quanto menos oxigênio for usado, mais ar de qualidade vocês terão para respirar. Em seguida, aperte o botão que vai alarmar a portaria, assim eles vão chamar o corpo de bombeiros, que está habilitado para abrir o elevador e tirar todos lá de dentro.

Uma péssima ideia seria tentar abrir a porta do elevador, isso sim poderia causar acidentes.

Após ter avisado a administração do condomínio, espere e aproveite o tempo “livre” para avisar os amigos e a família que você talvez demore um pouco para chegar, porque está preso no elevador.

Essa atitude é importante por dois motivos: ajuda a passar o tempo e dá uma satisfação para que as pessoas que estiverem te esperando não fiquem preocupadas.

Quando o zelador e o síndico chegarem, é importante que eles tenham as informações completas de todo o cenário: quantas pessoas estão presas no elevador, qual a situação de cada uma delas e o que cada pessoa está fazendo.

Assim que os bombeiros chegarem, o síndico deve passar todos os detalhes para os profissionais, para que eles possam abrir o elevador com segurança e todos saírem de lá mais tranquilos.

Para evitar que mais ninguém fique preso no elevador, é importante observar que o síndico e o zelador devem fazer o procedimento de segurança correto:

  • travar os elevadores de todos os andares.
  • colocar aviso de que o elevador está com problemas, que já está sendo consertado.
  • agradecer a compreensão de todos.

Os técnicos responsáveis pela manutenção do elevador devem verificar e arrumar o problema o mais rápido possível, para que os condôminos não tenham o dia a dia afetado por muito tempo.

Via: Seu condomínio