18/01/2021 – Decisão de reabrir áreas comuns volta a ser dos condomínios

Os condomínios da cidade do Rio voltam a decidir se liberam ou não as suas áreas comuns, segundo decreto 48.423 de 2021 publicado na última quarta, dia 13, no Diário Oficial do município. A determinação revoga o decreto 48.279 do final de 2020, que proibia a utilização de espaços como piscinas, saunas e churrasqueiras.

Para o advogado Leandro Sender, a decisão da Prefeitura é coerente. “Já que outras áreas de lazer de hotéis e clubes, além das praias estão liberadas, não teria sentido restringir os espaços dos condomínios. Importante ressaltar que esta reabertura tem que levar em conta todos os cuidados para evitar a propagação da Covid-19, como utilização de máscaras, distanciamento, limpeza frequente dos ambientes e álcool em gel, entre outras soluções”, destaca Sender.

O também advogado André Luiz Junqueira explica a nova sistemática de alerta, de acordo com a resolução: a cada semana, o Centro de Operações de Emergência vai divulgar qual é a faixa de risco de contágio da Covid-19 na cidade. Os níveis de alerta são 1, 2 e 3, risco moderado, alto e muito alto, respectivamente. “O anexo desta resolução enquadra diversas atividades nestes três níveis distintos de risco e determina como elas podem ser realizadas e exploradas”, diz Junqueira.

Ele alerta ainda para que os síndicos e os administradores de imóveis tenham atenção, pois diversas disposições são aplicáveis a condomínios. “É um decreto que tem tanto medidas permanentes quanto medidas variáveis. As permanentes é preciso obedecê-las sempre e as variáveis vão alterar de acordo com o nível de risco que o Centro de Operações de Emergência vai divulgar”, explica. Por isso, complementa o especialista, é importante que o gestor fique atento em qual risco o condomínio se enquadra e qual dos itens do anexo terá que obedecer.

Fonte: Mercado Imobiliário Net

05/01/2021 – Conheça o plano de combate ao Covid-19 da Prefeitura do Rio

Inicialmente, cerca de 2,6 milhões de pessoas serão vacinadas e 343 novos leitos estarão disponíveis aos infectados por COVID-19 no Rio de Janeiro

Prefeitura do Rio apresentou, na manhã deste último domingo (03/01), o plano inicial de enfrentamento à COVID-19 na cidade. O anúncio foi feito após uma reunião do prefeito Eduardo Paes (DEM) com integrantes do secretariado municipal, que contou ainda com a participação do governador do Estado Cláudio Castro (PSC) e de outros representantes dos governos federal e estadual.

Entre as ações planejadas, estão a vacinação da população, a abertura de novos leitos de internação, a ampliação da testagem e a ativação do Centro de Operações de Emergências em Saúde – COE COVID-19 RIO. Também será lançado um aplicativo para que as pessoas possam fazer a autonotificação de casos.

– Nós queremos que haja uma integração nas ações de combate à COVID-19 entre a Prefeitura e o Governo do Estado. Uma das medidas que os secretários já estão tomando é integrar todas as normas, resoluções, regulamentos para o cidadão. Vamos trabalhar em conjunto, em parceria. Vamos centralizar a nossa ação num trabalho de conscientização – disse o prefeito Eduardo Paes, após a reunião no Palácio da Cidade, em Botafogo.

O prefeito frisou que, em relação à vacinação, vai seguir o Programa Nacional de Imunização, a ser anunciado pelo Ministério da Saúde. E o governador garantiu que o estado do Rio está preparado para iniciar a vacinação assim que o governo federal liberar o calendário.

 Na semana passada já chegaram oito milhões de seringas e, ainda em janeiro, (vamos receber) mais oito milhões. Tenho a  certeza de que, se a vacinação começasse na quarta-feira, estaríamos 100% preparados.

Em seguida, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, apresentou o plano de enfrentamento à COVID-19. A cidade deverá ter, até o fim de janeiro, 343 novos leitos para atendimento aos casos da doença. Além de 193 novas vagas na rede pública, a Prefeitura publicou, no Diário Oficial deste domingo, um chamamento para contratar 150 leitos da rede privada. Já os equipamentos e profissionais do Hospital de Campanha do Riocentro serão remanejados para os hospitais Ronaldo GazollaSouza AguiarSalgado Filho Hospital Universitário Clementino Fraga Filho.

– Todos os recursos serão empenhados, ao máximo, para garantir o funcionamento de todo o sistema de saúde do Rio – destacou Soranz.

Também neste domingo, foi publicado um decreto que dá total transparência à ocupação e abertura de leitos na rede municipal de saúde, com acesso pelo portal http://smsrio.org/censo. O secretário de Saúde informou que, atualmente, existem 1.493 leitos livres na cidade. Mas ressaltou que é necessário haver uma central de regulação única das vagas nos hospitais.

– (A transparência) Não funcionará se a gente não tiver uma regulação única e trabalhar de maneira integrada com os três entes – governos federal, estadual e municipal.

Sobre a vacinação, Soranz explicou que, de início, o objetivo é o de imunizar 2,6 milhões de pessoas nas primeiras quatro etapas do plano de vacinação, a partir do cronograma do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde.  A estratégia envolverá 450 pontos de vacinação na cidade, a maioria nas Clínicas da Família e Centros Municipais de Saúde, com 10,5 mil profissionais envolvidos. 

A tendência é a de que, na primeira fase, deverão ser imunizados trabalhadores da saúde, pessoas a partir de 60 anos, pessoas com comorbidades, professores, indígenas, quilombolas e profissionais das forças de segurança e salvamento e serviços essenciais, além de funcionários do sistema prisional.

A Prefeitura também prevê ampliar a testagem de casos suspeitos de COVID-19. Inicialmente, deverão ser testadas cerca de 450 mil pessoas. As unidades de saúde oferecerão os testes de maneira fácil e sem burocracia. Pelo aplicativo Rio COVID-19 será possível realizar a autonotificação e o agendamento do teste diagnóstico, caso seja indicado.

Haverá ainda um monitoramento da situação epidemiológica para identificar as áreas com necessidade de maior atenção e fortalecimento das ações de proteção à vida. Um boletim semanal será divulgado com a situação de toda a cidade, dividida por região administrativa (RA).

– É fundamental identificar precocemente quem pode estar doente ou transmitindo a doença. Informar quando teve, onde mora, olhar o rastreamento do contato e fazer o georeferenciamento dos casos – enfatizou Soranz.

O Diário Oficial deste domingo traz ainda a composição do Centro de Operações de Emergências em Saúde – COE COVID-19 RIO, que funcionará nas dependências do Centro de Operações da Prefeitura do Rio (COR) e atuará em parceria com o Comitê Especial de Enfrentamento da COVID-19 (CEEC), composto por especialistas das três esferas governamentais.

As atribuições do COE COVID-19 RIO são planejar, organizar, coordenar e monitorar as ações de enfrentamento à doença; elaborar protocolos e análises relacionadas à situação epidemiológica na cidade; divulgar informações relativas à emergência de saúde pública; e deliberar sobre os estágios de aplicação das medidas protetivas para cada Região Administrativa (RA) do município.

Fonte: Diário do Rio

14/12/2020 – Confira as novas medidas contra a Covid-19 no Rio

Estacionamento na orla volta a ser proibido nos fins de semana e feriados, mas praias continuam liberadas

Nesta quinta-feira (10/12), a Prefeitura do Rio anunciou novas medidas para combater a Covid-19. Segundo as novas regras, está proibido o estacionamento na orla nos fins de semana e feriados. Entretanto, as praias continuam liberadas. Bares, restaurantes e casas noturnas não terão o funcionamento alterado pelas medidas. Ainda não foi divulgado quando as novas medidas entrarão em vigor.

As regras foram definidas nesta quarta-feira (09/12), em uma reunião entre o prefeito Marcelo Crivella, o governador Cláudio Castro e os secretários de Saúde Municipal e Estadual no Palácio da Guanabara, sede do Governo do Estado.

As novas medidas anunciadas são:

  • Escalonamento dos horários de funcionamento da indústria (a partir das 7h); dos serviços (a partir das 9h); e do comércio (a partir das 11h), para evitar aglomeração nos transportes públicos.
  • Proibição de estacionamento na orla nos fins de semana e feriados;
  • Cancelamento das áreas de lazer nas orlas de Copacabana, Ipanema e Leblon e no Aterro do Flamengo aos domingos e feriados (as pistas, portanto, não serão fechadas ao trânsito de veículos);
  • Proibição do uso de áreas comuns de lazer em condomínios, onde não são usadas máscaras, como saunas e piscinas.

Além disso, já havia sido anunciada a autorização para que shoppings e Centros Comerciais ficassem abertos 24 horas, para evitar aglomerações nos meios de transporte e nas compras de Natal.

A Prefeitura afirma que os ambulantes legais que atuam na orla receberão cestas básicas enquanto durarem as novas medidas. Algumas das medidas anunciadas nesta quinta, como a proibição de estacionamento da orla, já tinham sido tomadas em outros momentos da pandemia. As atividades foram retomadas, mas com a alta de casos que o Rio de Janeiro enfrenta, as medidas se mostraram necessárias novamente para evitar aglomerações.

Fonte: Diário do Rio

26/06/2020 – Precauções na convivência com infectados pela Covid-19

O cenário ideal para uma pessoa contaminada é o de ausência completa de contato físico com outros. Entretanto, o que fazer quando ela divide casa com terceiros? Confira os cuidados necessários para evitar possíveis infecções:

 

1 – Como permanecer isolado em casa?

 

É conveniente dispor de um quarto exclusivo para ela, sendo recomendável o não compartilhamento de banheiro. Evitar, na medida do possível, estar com o paciente em outros cômodos da casa, mantendo pelo menos um metro de distância.

– Colocar o lixo do paciente em uma lata com tampa dotada de um saco em seu interior com fecho hermético;

– Garantir uma boa ventilação e uma janela com acesso à rua;

– Para minimizar o contato, o paciente tentará se comunicar com o resto dos parentes ou coabitantes por meio do telefone celular;

– Limitar a circulação pela casa a situações estritamente necessárias;

– Ao sair da sala, recomenda-se o uso de máscara e uma correta higiene das mãos com água e sabão ou um desinfetante à base de álcool.

 

2 – Como limpar a casa?

 

É imprescindível realizar uma limpeza diária completa para evitar novas infecções. Atenção especial deve ser dada às superfícies em que a pessoa infectada possa ter tocado.

– A pessoa responsável pela limpeza deve usar máscara e luvas;

– Para a limpeza, deve ser usada uma solução de água sanitária: uma parte do desinfetante para cada 49 de água;

– Limpar diariamente todas as superfícies de contato frequente: maçanetas, mesas, interruptores, torneiras, vasos sanitários, telefones e teclados;

– A louça e os utensílios devem ser lavados com água quente e sabão, de preferência em uma máquina de lavar louça para alcançar os 60 °C;

– A roupa do paciente pode ser lavada separadamente com o detergente habitual em uma temperatura entre 60.º e 90 °C. Deixar secar totalmente.

 

3 – O que deve ser feito com os resíduos?

 

Um tratamento correto dos restos gerados pode evitar possíveis contágios. É essencial usar elementos de limpeza descartáveis, isolar corretamente o lixo em um saco plástico e fazer uma higiene pessoal completa depois do tratamento desses resíduos.

– Jogar as luvas e a máscara no lixo e lavar as mãos em seguida;

– O lixo deve estar dentro de um saco plástico fechado;

– A toalha da pessoa infectada deve ser usada uma única vez e colocada em um balde específico.

 

Fonte: Prefeitura de São Simão

 

01/06/2020 – Visite o Theatro Municipal do Rio gratuitamente pela Internet

Pelo site, visitantes vão poder conhecer a construção por dentro e saber mais sobre a história do prédio.

 

A partir desta segunda-feira (1), o Theatro Municipal do Rio de Janeiro oferece uma visita guiada pela internet para que os visitantes possam conhecer o interior da construção e entender um pouco mais sobre a história de um dos palcos mais tradicionais do país.

 

A medida foi a estratégia adotada pelo museu para dar continuidade às visitas guiadas, que atraíam cerca de 600 pessoas por semana, antes da pandemia.

 

Para fazer o tour virtual, basta acessar o site do Theatro Municipal e acompanhar a programação, que é gratuita.

 

A visita começa no Salão Assyrio, onde já foram realizadas muitas festas. Em seguida, o visitante acompanha a guia até a sala de espetáculos, com 2,3 mil lugares. Depois, o visitante sobe virtualmente as escadas e pode ver os vitrais e afrescos nas paredes.

 

“Uma visita como se a pessoa que está visitando fosse a câmera que está entrando pelo Theatro. E eu acho que é uma oportunidade para todo mundo que está fora do Rio e, mesmo quem está dento do Rio de Janeiro, em tempos de isolamento, poder visitar o Theatro Municipal”, diz Aldo Mussi, presidente do Theatro Municipal do RJ.

 

Os artistas do Theatro também encontraram um jeito de continuar mantendo contato com o público. Por meio de vídeos, eles mostram como estão se preparando para voltar aos palcos, e os visitantes podem acompanhar os momentos de estudo dos artistas em casa.

 

Fonte: G1

04/05/2020 – Idosos devem redobrar cuidados com saúde mental durante quarentena

O distanciamento social é a única maneira efetiva de conter o avanço rápido do coronavírus. A recomendação dos especialistas é que a medida seja seguida à risca por todos. Em especial, pelas pessoas acima de 60 anos, que fazem parte do grupo de risco. O psiquiatra Carlos Celso Serra Azul, que atua no Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto (HSM), da rede pública da Secretaria da Saúde, do Governo do Ceará, afirma que os idosos devem ter uma atenção maior com a saúde mental neste período.

 

De acordo com o psiquiatra, alguns idosos podem desenvolver transtornos mentais, principalmente aqueles relacionados à ansiedade, estresse e depressão. “A vulnerabilidade social, a limitação da rotina e a distância dos familiares são alguns aspectos que tendem a alterar o estado emocional, afetando a saúde mental. Embora seja necessária nesse momento, a limitação da rotina do idoso pode desencadear algum transtorno”, alerta.

 

Para enfrentar este momento de maneira saudável, evitando problemas emocionais e psíquicos, a recomendação é que os idosos realizem o máximo de atividades dentro de casa. “Tem que ocupar o tempo e criar uma rotina com exercícios físicos, meditação, conversas por videoconferência com os familiares e com a realização de atividades que sejam prazerosas”, completa.

Além disso, é fundamental manter uma alimentação saudável e prezar por um sono reparador. Para os que usam medicação e fazem algum tipo de tratamento, a recomendação é dar continuidade às orientações médicas.

 

Mal de Alzheimer

 

Devido à pandemia, os idosos com mal de Alzheimer podem apresentar algumas alterações comportamentais. A recomendação para os cuidadores é que mantenham a rotina de atividades dentro de casa. O Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto (HSM) está atendendo os casos mais graves na emergência da unidade, que funciona 24 horas.

 

Fonte: Governo do Estado do Ceará

03/05/2020 – Pesquisa on-line avalia impacto da COVID-19 na saúde mental dos brasileiros

Questionário elaborado por portal de psicólogos mapeia como a pandemia vem afetando a saúde mental, emoções e atitudes dos brasileiros. Ele avalia indicadores de ansiedade e depressão, adesão ao isolamento, consumo de notícias sobre a COVID-19 e expectativas sobre o presente e futuro. Mais de 1500 já participaram. Os primeiros resultados serão divulgados em 25 de Maio.

 

Entender os impactos da pandemia sobre a saúde mental é importante para que a sociedade repense suas prioridades, do ponto de vista emocional e das relações. Mudanças inesperadas de rotina, sensação de solidão, novos hábitos, instabilidade financeira, incerteza quanto ao futuro. A pandemia de COVID-19 e as medidas de isolamento social para contê-la vêm gerando preocupações com aspectos da vida que estão além da saúde física em si.

 

É razoável considerar que a saúde mental e emocional das pessoas tenha sido impactada pela pandemia, de alguma forma. Mas, em que medida isto aconteceu? Como as emoções, sentimentos e atitudes das pessoas foram afetadas? Para responder algumas dessas perguntas, o portal Nossos Psicólogos lançou a pesquisa on-line “COVID-19 e a Saúde Mental do Brasileiro”, elaborada para mapear como a pandemia afetou a visão das pessoas sobre suas vidas no presente e nas expectativas para o futuro, em comparação ao que eram antes do novo coronavírus. Até 04 de maio já haviam participado mais de 1500 brasileiros de 26 estados e mais 11 países. A pesquisa pode ser respondida em apenas 4 minutos, em rebrand.ly/cv19psi.

 

“A pesquisa avalia alguns indicadores ligados à ansiedade e depressão, como ânimo e disposição geral, irritabilidade, padrões alimentares, consumo de álcool, sentimentos mais comuns, entre outros, sempre considerando a forma como as pessoas se sentem atualmente em comparação a antes da pandemia”, explica Helder Conde, coidealizador do portal Nossos Psicólogos e um dos organizadores da pesquisa. “Algumas das perguntas são baseadas em outros questionários internacionais de avaliação de ansiedade e depressão, como o GAD-7 e o PHQ-9, elaborados por pesquisadores da Universidade de Columbia, em Nova Iorque.”, explica.

 

Além disso, a pesquisa também avalia a adesão das pessoas às medidas de isolamento social, a visão delas sobre a importância de acatar ou não estas medidas, a frequência no consumo de informações sobre a pandemia e de que forma os noticiários influenciaram nesta adesão.

 

“Frente à instabilidade trazida pela COVID-19, consideramos que seria importante perguntar também sobre as expectativas e o grau de otimismo das pessoas com relação ao futuro”, destaca Solange Maia, coidealizadora do portal e organizadora da pesquisa. Segundo ela, “os resultados preliminares já mostram que quase 85% das pessoas, das mais diferentes faixas etárias, consideram que a pandemia tem ou terá impacto razoável ou grande em suas vidas financeiras – o que pode gerar inseguranças, incertezas e mudanças efetivas de padrão de vida e comportamento, com impacto direto sobre a saúde mental e emocional.”

 

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o Brasil ocupa a liderança mundial no ranking de ansiedade. Quando se fala em depressão, o país está entre os quatro com a maior incidência da doença – que é a principal causa de incapacidade no mundo, segundo a entidade. Pesquisadores da Universidade de Munique, na Alemanha, apontam a depressão como fator de risco importante para outros problemas de saúde também potencialmente graves, como as doenças cardiovasculares, diabetes, doença de Parkinson, câncer, além de aumentar a propensão ao abuso de substâncias (drogas e álcool) e estar intimamente relacionado aos casos de suicídio, para o qual o Brasil ocupa a 8ª posição mundial.

 

“Entender os impactos da pandemia sobre a saúde mental é importante para que a sociedade como um todo possa entender suas dores, medos, esperanças e possa repensar suas prioridades, inclusive do ponto de vista emocional e das relações humanas”, destaca Solange Maia. “Esperamos, com esta pesquisa, ajudar a mapear algumas destas questões e ter pistas de como o brasileiro vem lidando, do ponto de vista emocional, com esta nova realidade tão cheia de incertezas”, conclui.

 

Os primeiros resultados da pesquisa serão divulgados em 25 de maio, mas ela continuará ativa até que a OMS declare oficialmente o fim da pandemia causada pelo novo coronavírus.

 

Fonte: Portal Comunique-se

22/04/2020 – Uso de máscara de proteção passa a ser obrigatório no Rio de Janeiro

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, publicou um decreto no último dia 18, tornando obrigatório o uso de máscara de proteção a partir de 23 de abril para as pessoas que forem circular nas ruas da cidade, em estabelecimentos abertos ao público ou em transporte público e privado. Segundo a medida publicada em uma edição extraordinária do Diário Oficial do Município, o uso das máscaras faciais também deve ocorrer em praias, lagoas e praças públicas.

“É importante dizer que as máscaras que estamos tornando o uso obrigatório são as comuns, feitas em casa. As profissionais, conforme o Ministério da Saúde, vamos deixar para os profissionais da saúde. Se todo mundo for usar a máscara profissional, vai faltar para dentro do hospital. As que estamos pedindo para as pessoas usarem são as caseiras”, disse Crivella em uma coletiva de imprensa.

De acordo com o decreto, as pessoas que estiverem sem as máscaras nas ruas poderão ser impedidas de usar o transporte público ou de entrar nos estabelecimentos autorizados a funcionar durante a pandemia do novo coronavírus.

Quem desobedecer a medida também estará sujeito ao pagamento de multa por deixar de cumprir ou dificultar as medidas sanitárias de combate ao novo coronavírus e manutenção da saúde.

Confira o decreto municipal na íntegra.

Fonte: Secovi Rio

16/04/2020 – Confira os cuidados que devemos tomar ao pedir delivery

A vida em quarentena é cheia de novos desafios e aprendizados. Todos estão cozinhando mais e também pedindo mais delivery. No entanto, não basta apenas receber a comida pronta na porta de casa, há outros cuidados que precisam ser tomados para se prevenir do coronavírus.

 

1) Quando o entregador chegar, fique a pelo menos 1 metro de distância dele. Coloque uma cadeira na porta para ele apoiar ali a embalagem e explique que é uma medida de segurança.

 

2) Passe álcool gel na mão e no cartão depois de usar a maquininha. Se for usar cash, lave muito bem as mãos em seguida.

3) Não deixe que o cartão fique próximo do alimento na hora do pagamento.

 

4) Escolha um lugar para desembalar os produtos diferente do local onde irá se servir. Descarte a sacola externa e higienize a superfície onde vai colocar as embalagens com as comidas. Lave bem a mão antes de encostar nesta última.

 

5) Depois de organizar a mesa para a refeição, lave mais uma vez a mão e, pronto, pode comer.

 

FONTE: O GLOBO

13/04/2020 – 10 brincadeiras para distrair as crianças durante a quarentena

Com as aulas suspensas em escolas de todo o país, é importante encontrar novas maneiras de entreter as crianças que estão passando os dias dentro de casa. Como também grande parte dos familiares começam a trabalhar no modelo home office, esse acaba sendo um momento oportuno para, além da diversão, estreitar laços entre pais e filhos. 

 

Separamos algumas brincadeiras para vocês experimentarem com os pequenos em casa:

 

  1. Jogo da velha com pedras

 

Com tinta, criatividade e aquela dose de carinho, você pode ajudar as crianças e pintar as pedras. Depois vocês podem brincar de jogo da velha com as pedrinhas decoradas.Você pode fazer algo mais simples também, desenhando “X” e “O” nas pedrinhas. As crianças amam jogo da velha. É um joguinho simples e para todas as idades.

2. Contação de histórias

Uma dica para aproveitar os momentos em família é a contação de histórias. Pode escolher o livro preferido do seu pequeno, inventar uma ou até inventarem juntos.

3. Stop!

Também conhecido como adedanha ou adedonha, essa brincadeira precisa de, pelo menos, três pessoas para ser bem legal. Além de ser um clássico que vai lembrar seus tempos de infância se a turma for animada, várias horas de diversão e aprendizado estão garantidas!

4. Cantinho da leitura

Monte uma cabana alta para conseguir entrar, além colocar almofadas para seu pequeno encostar enquanto lê.

5. Strike!

Você vai precisar de seis a dez garrafas, rolos de cartolina ou papelão. Uma bola de meia, de tênis ou do bichinho de estimação. E pronto. É só organizar os pinos improvisados, encontrar um lugar para fazer a pista e se divertir!

6. Jogo de dardos com balões de festa

Que tal criar um joguinho de acertar com balões e dardos? É super legal para brincar, as crianças adoram e é algo fácil de fazer. Basta criar um painel com as bolas de encher, formando uma figura ou não. Você escolhe. Quando fizer, é só pedir para as crianças tentem acertar os balões presos na madeira com os dardos.

 

7. Pista de carrinho

Que tal aproveitar o craft da Leiturinha e fazer uma pista super divertida? É bem simples: estenda o papel pelo chão da casa e prenda-o com fita adesiva, depois desenhe com giz as ruas da pista. Mas, não para por aí: pode desenhar cidades, parques, casas, etc. 

Esta brincadeira também tem uma outra versão que segue o mesmo raciocínio, porém usando a fita adesiva para desenhar a pista direto no chão.

8. Cesta de basquete com uma lixeira

Com uma simples lixeira de plástico você pode criar uma cestinha de basquete de brinquedo. Super legal para brincar com os pimpolhos.

9. Telefone sem fio

Mais um clássico das brincadeiras. O telefone sem fio tradicional é feito com duas latinhas vazias e limpas, com um furo no fundo sem a tampa. Ambas conectadas por um barbante passado pelo furo. Mas você pode tentar outros materiais também.

10. Encaixe de formas

Desenhe quadrados, triângulos, círculos, retângulos e várias outras formas numa cartolina com canetinha ou no chão com fita adesiva. Depois, corte papéis coloridos com as mesmas formas de mesmo tamanho e dê para o seu pequeno brincar de encaixar!