17/07/2020 – A importância do Hall: o cartão de visitas do seu condomínio

Tendo um importante papel nos condomínios, sejam eles residenciais ou comerciais, o Hall de entrada é considerado o cartão de visitas do prédio.

Devido a isso, a decoração feita nesse ambiente, poderá desde valorizar mais o empreendimento, até mesmo passar uma má impressão. Ele deve sempre proporcionar aos moradores e visitantes uma sensação boa, que transmita uma certa receptividade, além disso, precisa ser clean e bastante confortável.”

O que fortalece a importância de se criar e executar um bom projeto decorativo para este local.

Para fazer uma boa decoração, valorizar o imóvel e causar uma boa impressão a quem passa pelo hall de entrada, existem vários aspectos a serem considerados, tais como: combinação de cores, objetos e móveis bem posicionados, e uma boa iluminação que enalteça o ambiente, dando a sensação agradável de estar ali. Tudo precisa estar em harmonia.

Vale lembrar que por ser considerado uma área comum do condomínio, o hall de entrada está sujeito às regras do empreendimento, devendo seguir as normas da Convenção e do Regimento Interno, e se tiver alguma questão relacionada a decoração é preciso ser averiguada antes de qualquer alteração, além de também de ser necessária a aprovação da Assembleia.

O portal Síndico Legal juntou algumas dicas de decoração para o hall de entrada do seu condomínio, veja:

Iluminação: geralmente são recomendados o uso dos spots, para realçar alguma peça específica e interessante. Mas não se pode deixar de lado a iluminação central, que também ajuda muito no destaque do ambiente. Uma dica, se tiver o pé direito alto, capriche num lustre, ele irá dar um certo requinte para o local.

Piso: se puder escolher, opte pelos laváveis, já que possuem mais duração e é mais fácil de dar manutenção. Se quiser dar mais destaque, os pisos de cerâmicas, mármores, granitos e porcelanatos em cores claras. Não é recomendado o uso de madeira e carpete, já que possui uma higienização mais difícil.

Paredes: podem ser pintadas ou até mesmo ser revestidas de papel de parede, de preferência nas cores claras. Se o ambiente tiver pé direito baixo, pode abusar das listras verticais.

Mas se o local for pequeno e apertado, as listras horizontais irão ajudar a dar amplitude. E se o espaço for grande, pode utilizar papel de parede com estampas grandes. E para realçar o ambiente, pode pintar apenas uma parede com tonalidades quentes, como vermelhos, laranjas ou amarelos.

Mobília: a circulação não pode ser prejudicada, coloque um aparador para enfeitar o ambiente. Use espelhos, para dar charme no hall de entrada.

Plantas: opte por colocar plantas naturais, mas desde que não precisem de muita manutenção e nem luz direta.

 

Fonte: Viva o Condomínio

13/07/2020 – Porteiros são essenciais no combate à Covid-19

 

Porteiros e porteiras são responsáveis por controlar a entrada e saída de pessoas, mercadorias e correspondências nos condomínios diariamente. Com a pandemia, houve algumas adaptações nas rotinas dos prédios e no desempenho deste serviço considerado essencial.

 

“A pandemia está deixando muito clara a importância do trabalhador de condomínio”, afirma Paulo Roberto Ferrari, presidente do Sindifícios (Sindicato dos Trabalhadores em Edifícios e Condomínios de São Paulo). Para ele, o cenário evidencia a necessidade de uma pessoa para ajudar e orientar, como porteiros e zeladores, em vez de substituí-los por máquinas.

 

Carlos Alberto Azevedo, assessor jurídico do Secovi-SP, diz que os porteiros são responsáveis por zelar pela ordem do condomínio, manter o espaço de trabalho limpo e higienizado, registrar as movimentações e orientar os outros com base nas regras dos prédios.

 

Ele explica que, na prática, esta função é ainda mais abrangente, pois o profissional se envolve na cultura do condomínio e pode participar de outras atividades, com gentilezas, por exemplo.

 

Alexandre Berthe, advogado especializado em direito condominial, afirma que é importante diferenciar gentilezas de obrigações. Quando o funcionário faz tarefas diárias que não são parte do seu trabalho em si, pode haver consequências na Justiça pelo desvio de funções.

 

Azevedo diz que é recomendável que os condomínios estabeleçam um regulamento prevendo quais são as competências do porteiro, que sejam compatíveis com a sua função, e um manual de operações com as regras do prédio. É importante que os profissionais recebam treinamento constantemente.

 

Segundo Ferrari, entre as dificuldades no dia a dia do trabalho dos porteiros está o descumprimento de regras por moradores que acabam resultando em conflitos. Quando os porteiros têm algum problema durante o trabalho, é necessário procurar um superior hierárquico, como zelador, síndico ou integrante do conselho. Ferrari lembra que o sindicato também atua com amparo legal para os profissionais.

 

De acordo com os especialistas, entre as mudanças provocadas pelo novo coronavírus está a limpeza de superfícies e objetos e o uso de equipamentos de proteção individual, como máscaras e luvas. “As regras de higiene estão sendo muito bem-vistas como forma de evitar a propagação [do vírus]”, afirma Berthe.

 

Folhapress/Larissa Teixeira

 

Fonte: Bonde

10/07/2020 – Recomendações da Vigilância Sanitária do Rio para combater a Covid-19 no setor de comércio de prestação de serviços

Com o objetivo de promover a conscientização nesta fase de reabertura da economia na cidade do Rio de Janeiro, a Prefeitura do Rio, por meio da Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses, enviou um ofício à Fecomércio com diversas recomendações a serem repassadas a todo setor de comércio de prestação de serviços sobre as medidas de prevenção da Covid-19 necessárias para o bom funcionamento destes estabelecimentos.

 

Entre as medidas de manutenção a serem adotadas e a documentação exigida, destacam-se a troca constante dos elementos filtrantes dos bebedouros, que devem ter a certificação dos órgãos competentes. Além disso, os ambientes com ar condicionado precisam que o ar seja renovado de acordo com o exigido pela legislação (27m³/hora/pessoa). Caso não haja ar condicionado, as janelas e portas dos ambientes devem ser mantidas abertas.

 

Os estabelecimentos devem, ainda, apresentar os seguintes documentos durante uma fiscalização sanitária: Plano de Manutenção, Operação e Controle de Ar-Condicionado; comprovante de limpeza de ductos de ar condicionado anual, laudo de qualidade do ar com validade semestral, certificado semestral de higienização dos reservatórios de água de consumo e o laudo de potabilidade da água com validade semestral.

 

Também é fundamental que todos os estabelecimentos e prestadores de serviços sigam as Regras de Ouro divulgadas pela Prefeitura do Rio no Decreto nº 47.488, de 02 de junho de 2020, com ações mitigar a transmissão do coronavírus no município.  São elas:

 

1- Higienização das mãos, preferencialmente com água e sabão líquido, ou com álcool em gel setenta por cento;

2- Uso da máscara facial em todas as áreas comuns, e só retirá-la durante as refeições;

3- Observância do distanciamento de dois metros entre pessoas ou de ocupação máxima de uma pessoa a cada quatro metros quadrados nos ambientes fechados de acesso público, devendo ser evitado o uso de elevador e limitada a sua ocupação;

4- Manutenção dos ambientes arejados, com janelas e portas abertas e sistemas de ar-condicionado com manutenção e controle em dia;

5- Disponibilização de máscaras, luvas, toucas e outros equipamentos de proteção individual para as equipes de limpeza e demais funcionários, de acordo com a atividade exercida;

6- Sensibilização quanto à etiqueta respiratória;

7- Restrição de acesso às dependências dos estabelecimentos industriais, comerciais e de prestação de serviço, de clientes e colaboradores em estado febril ou com sintomas de contaminação;

8- Limpeza concorrente de todas as superfícies nos estabelecimentos industriais, comerciais e de prestação de serviço, a cada três horas, e a limpeza terminal após o expediente, com atenção à necessidade da limpeza imediata;

9- Divulgação, em pontos estratégicos, de materiais educativos e de outros meios de informação sobre as medidas de prevenção à Covid-19, como as Regras de Ouro e o número de telefone da Central de Atendimento 1746.

Vale lembrar que os estabelecimentos comerciais, industriais e prestadores de serviços podem requerer o Selo de Conformidade com as Medidas Preventivas da Covid-19 para atestar o compromisso com as normas de saúde e com as Regras de Ouro. Para isso, é preciso estar licenciado junto à Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses, cumprir as Regras de Ouro e todas as outras medidas de prevenção específicas para cada atividade.

 

Cabe reforçar que o descumprimento às Regras de Ouro e ausência de Licenciamento Sanitário constitui infração de natureza sanitária, podendo resultar no pagamento de multa e até a interdição do estabelecimento.

 

Para ler o documento na íntegra e ver todas as recomendações, clique aqui.

 

Fonte: Secovi Rio

08/07/2020 – Conheça os principais desafios da convivência em condomínio

Quem escolhe morar em condomínio, busca mais segurança e comodidade. Mas isso só é possível se todos os moradores colaborarem, o que nem sempre acontece. Problemas são gerados e os conflitos surgem.

Para ajudar você a lidar com esses problemas, preparamos um artigo sobre os sete principais desafios de convivência em condomínio. Muito se fala nos 5 Cs, mas aqui reunimos os 7 Cs, confira!

Os 7 Cs são os sete principais desafios de convivência, e todos iniciam com a letra C: cachorro, carros, cano, crianças, calote, comércio e comunicação. Vamos a eles!

Cachorro

As principais reclamações são de seus latidos, sujeira e agressividade. Alguns comportamentos variam de acordo com a raça, mas não é saudável trancar um cão o dia inteiro num apartamento, como alguns moradores fazem, não é mesmo?

O síndico não pode proibir a posse do cão, mas deve garantir o cumprimento das regras estabelecidas no regimento. Uso de focinheira e obrigação de animais frequentarem apenas o espaço pet, são boas resoluções. Se as infrações persistirem, aplique a multa.

Carros

Muitas garagens não são projetadas para automóveis grandes, como os SUV. Motoristas encontram dificuldades para estacionar, danificam seus carros e, por vezes, outros veículos, o que causa conflitos.

O que o síndico pode fazer?

Contratar manobristas.

Redesenhar as vagas de garagem.

Instalar câmeras de monitoramento para identificar acidentes.

As câmeras contribuem também, para monitorar o uso de vagas alheias sem autorização. Alguns moradores recebem visitantes e deixam que estes ocupem vagas de outros, o que não é correto.

Já o empréstimo ou aluguel de vagas entre condôminos pode ser tolerado, desde que não altere negativamente a convivência.

Cano

Os vazamentos infelizmente acontecem. O síndico precisa promover manutenções preventivas do encanamento para evitar esse problema, até porque envolve dinheiro.

Mas primeiro, identifique a origem do vazamento para saber de quem é a responsabilidade. Vazamentos horizontais indicam problema na unidade particular, portanto, o morador deve resolvê-lo. Já os vazamentos verticais são um problema do prédio.

Mas o melhor a se fazer, é contratar uma empresa especializada para fazer a identificação correta.

Crianças

As crianças precisam de espaços adequados para sua recreação. Playgrounds, sala de jogos, quadra de esportes, entre outros, são boas opções para mantê-las em locais apropriados e diminuir traquinagens pelo edifício.

Câmeras de monitoramento ajudam na identificação das crianças que agem de forma inadequada e, assim, pode-se advertir os responsáveis.

Calote

Se refere à inadimplência do condômino que não pagou a taxa condominial. Após efetuar a advertência e o pagamento não for efetuado, a multa a ser aplicada deve ser de 2% e juros de até 1% mensais para valores atrasados. Tais percentuais podem variar de acordo com a convenção.

Não cabe ao síndico cobrar pessoalmente o inadimplente. Faça isso através de um escritório de advocacia especializada.

Dica: contratar uma Garantidora para zerar a inadimplência, só é vantajoso se o percentual total estiver acima dos 6%!

Comércio

Profissionais liberais podem usar o endereço residencial como endereço comercial para receber correspondências e por razões fiscais. O home office é permitido, mas a instalação de uma empresa ou comércio em uma unidade particular, não. Clientes podem ser recebidos, desde que o fluxo não altere a rotina condominial. Mas por exemplo, instalar uma cozinha industrial é proibido por questões de segurança.

Feiras condominiais e outras atividades

Alguns condomínios-clube têm promovido feiras em suas áreas comuns. Isso, no entanto, deve ser aprovado em assembleia com 100% de quórum e ter aprovação do município caso tenha cunho comercial.

Uma assembleia também é necessária para aprovar a contratação de um profissional ou empresa para atender todos os moradores em alguma área comum. Isso só não é exigido para contratações particulares, mas se a atividade for realizada em área comum, o regimento interno deve ser respeitado e o profissional ter seu acesso e tempo de permanência controlados.

Comunicação

Muitos moradores reclamam que não são informados do que acontece no condomínio ou que não conseguem encontrar o síndico quando precisam.

Para minimizar queixas como essas e melhorar a convivência no condomínio, algumas estratégias podem ser tomadas pelo síndico.

Enviar, periodicamente, informes por e-mail, para todos os moradores.

Fixar avisos murais na área comum de maior circulação.

Criar um grupo em aplicativo com todos os moradores.

Utilizar recursos virtuais para interações e assembleias. A assembleia virtual é uma alternativa.

Como vimos, o síndico deve estar atento, disponível e disposto a mediar conflitos, para assim ser de fato um bom gestor!

Fonte: Kiper

07/06/2020 – Como ficará a Saúde Mental pós pandemia?

Uma coisa é fato, a pandemia veio sem bater na nossa porta, sem pedir licença e mudou a forma de nos relacionar com o mundo. Ela nos mostrou que aquele ritmo frenético que estávamos vivendo, de excesso de produtividade, trabalhar muito para produzir riqueza, ter que ser o(a) mais inteligente, o(a) mais bonito (a), ter o melhor carro, a melhor casa, nos adoece, e que de certa forma podemos sim, diminuir o ritmo, nos respeitar, nos entender e viver bem.

Infelizmente a pandemia deixará rastros, uma pandemia como a da COVID 19, a peste negra, varíola, cólera, gripe espanhola, não podemos esquecer também da primeira e segunda guerra mundial, sempre deixarão sequelas emocionais e não apenas socioculturais e econômicas como ouvimos falar com bem mais frequência.

As questões de saúde mental têm dois cenários nessa pandemia, o primeiro cenário já estamos vivendo, aumento do quadro de ansiedade e depressão já tem sido relatado em estudos psicológicos e psiquiátricos. O ritual do luto, que na nossa cultura é tão importante para elaboração da perda, infelizmente também não está acontecendo, fazendo com que os velórios sejam muito rápidos e sem tempo para despedida, o que leva as pessoas não terem a assimilação da perda.

O segundo cenário, virá quando a pandemia começar a diminuir, nossa vida começar voltar “ao normal”, porque por uns bons meses, fomos privados das relações sociais, de estar na rua, de se socializar de forma geral, deixando então a maioria das pessoas em segurança (menos violência) ao mesmo tempo ansiosas pelo o que virá pela frente. Acredita-se que teremos um aumento de quadros depressivos, ansiosos, transtorno de pânico, lutos prolongados, transtorno de estresse pós-traumático.

Vale ressaltar que todas as questões emocionais são multifatoriais, ou seja, diversas causas e um dos fatores é o ambiente, e o momento que estamos passando pode favorecer, mas não é a única causa.

Então, se você perceber que sua tristeza, ansiedade, vontade de comer, medo de sair na rua, entre outros fatores emocionais estão em excesso e começaram a te prejudicar no dia a dia, não deixe de buscar ajuda, quanto antes você tiver apoio psicológico e psiquiátrico, melhor será sua saúde.

Fonte: Correio Paulista

06/07/2020 – Quarentena no condomínio: Como cuidar da manutenção

Nesta quarentena, as obras em condomínios estão suspensas, porém, é preciso uma continuidade das manutenções importantes e emergenciais, devendo postergar apenas as não prioritárias. As reparações diárias, como a limpeza, não só devem continuar, como devem ser ampliadas.

Vale ressaltar, que as manutenções diárias, como a limpeza, não só devem continuar, mas devem ser ampliadas.

Veja a seguir como diferenciar uma manutenção emergencial e como funcionários e os profissionais terceirizados devem agir no condomínio de forma segura.

 

Na quarentena, só deve ser realizada manutenção emergencial?

A manutenção emergencial é aquela que não pode esperar, pois traz dano ao imóvel e coloca em risco a segurança dos usuários.

Entram nesse perfil obras relacionadas a vazamento de água, gás, elétrica e elevadores, entre outros. O que é importante precisa ser efetuado. Não é possível deixar de fazer os procedimentos de manutenção, principalmente os de caráter emergencial.

O que não for importante ou estiver relacionado à melhoria dos ambientes deve ser adiado.

 

Obras durante o período de quarentena no condomínio

Em relação às obras, segue a regra de que só deve fazer aquelas emergenciais e que comprometam o bem comum. As obras que não têm emergência devem ser suspensas, sejam elas da área comum ou das unidades.

Até as obras dos apartamentos que não estejam enquadradas como emergenciais devem ser bloqueadas pelo síndico, inclusive, amparada pelo Projeto de Lei 1179/2020.

As manutenções preventivas para o elevador, gerador, entre outros não pode esperar, pois afetam diretamente o funcionamento adequado do condomínio e pode colocar em risco a segurança de todos. E devem ser feitas com a ajuda de profissionais especializados e, claro, estes devem seguir todas as regras para prevenção ao Covid-19.

 

Manutenção do elevador

A manutenção dos elevadores, sem dúvida, é uma das obras que deve ser considerada de emergência durante o período de quarentena nos condomínios. Além da desinfecção, que deve ser constante, a manutenção desse equipamento não pode parar, pois se enquadra no rol dos serviços essenciais e não estão em quarentena.

O SECIESP, Sindicato das Empresas de Conservação, Manutenção e Instalação de Elevadores do Estado de São Paulo, em conjunto com a ABEEL, Associação Brasileira das Empresas de Elevadores, elaboraram uma cartilha com dicas de uso dos elevadores nas edificações como medidas preventivas à pandemia do Coronavírus.

 

Limpeza na quarentena

A limpeza deve ser intensificada no período de quarentena.

Um dos pontos de maior atenção no que diz respeito à manutenção é a limpeza e higienização das áreas comuns, principalmente nas áreas de acessos diários dos moradores como portões de entrada do edifício, acesso as garagens, elevadores, halls dos andares, maçanetas, além dos corrimãos. Outro ponto importante é a disponibilidade de álcool gel nas áreas de circulação.

Outra medida que pode ser adotada, visando evitar ao máximo a circulação de pessoas pelo condomínio, diz respeito a coleta do lixo. Em muitos casos o recolhimento era de responsabilidade do próprio condômino, mas em alguns condomínios, passou a ser realizada pelos funcionários em horário pré-determinado. Assim, apenas as pessoas devidamente equipadas circulam pelo condomínio diminuindo ou evitando qualquer tipo de contágio.

 

Cuidados com funcionários e prestadores de serviços

Caso a obra seja considerada emergencial e tenha mesmo que acontecer é necessário que os profissionais do condomínio ou terceirizados sigam orientações e cuidados para que evitar a contaminação das pessoas e para a própria segurança.

Entre as orientações sugeridas pela Coordenadoria de Vigilância em Saúde, da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo estão:

 

-Utilização EPIs, equipamento de proteção individual, como máscaras e luvas;

-Disponibilizar para uso dos funcionários local para lavagem frequente das mãos com sabonete líquido e toalhas de papel descartável;

-Disponibilizar álcool gel para uso dos funcionários em pontos estratégicos de fácil acesso;

-Desinfetar equipamentos;

-Manter a ventilação natural do ambiente de trabalho sempre que possível.

 

Todas essas orientações devem ser seguidas não só na manutenção do condomínio, mas também nas unidades de cada condômino. A mudança de hábitos e a adoção desses cuidados mínimos podem ajudar na contenção da pandemia e manter a saúde de todos que, por conta da atividade, muitas vezes, não podem se manter em casa, em isolamento social.

Fonte: Viva o Condomínio

01/06/2020 – Como otimizar seu celular para home office

O isolamento social mudou a rotina de milhares de trabalhadores e o celular passou a ser o meio mais prático para se manter conectado. Ele permite fazer reuniões através de videoconferências, ler e responder e-mails, além de ficar por dentro de todas as atividades do trabalho.

Pensando em deixar a sua rotina no home office ainda melhor, o Canaltech reuniu os melhores acessórios para smartphone que prometem otimizar as funções do seu celular e oferecer novas possibilidades aos aparelhos; confira abaixo:

Tripé para celular

Surgiu uma reunião importante de trabalho e você não quer ficar segurando o celular na mão? Um tripé para celular é uma opção ideal que oferece estabilidade durante as videoconferências e, dependendo do modelo, pode vir até com iluminação dedicada.

Além disso, o tripé é um acessório importantíssimo para criadores de conteúdo, pois traz mais praticidade na criação de fotos e vídeos em casa — sem, necessariamente, precisar de uma segunda pessoa na produção. Existem tripés de diversos tipos que oferecem diferentes funcionalidades. Seus preços variam de R$ 10 a R$ 1.000 e podem ser encontrados nas principais lojas online.

Carregador sem fio

 

O carregador sem fio faz exatamente o que promete: carrega seu celular sem fio. A vantagem em relação aos carregadores tradicionais é a praticidade, já que dispensa o uso de fios e basta encostar a traseira do celular sobre a plataforma — particularmente, é um dos acessórios que mais uso durante meu home office. No entanto, o suporte a carregamento sem fio ainda é uma exclusividade de smartphones topos de linha, então vale a pesquisa para ver se seu celular suporta a tecnologia. Citando alguns modelos: as linhas iPhone 8, X, 11, Galaxy S8, S9, S10, S20 e Note 10 são compatíveis.

Os carregadores sem fio podem ser encontrados nas principais lojas online e, em uma busca rápida pela internet, encontramos acessórios por valores a partir de R$ 40.

PopSocket (suporte de anel para celular)

 

Provavelmente, você já usou ou conhece alguém que ainda usa um suporte de anel para celular. Mais conhecido como PopSocket, estes suportes são fixados na parte traseira do celular e promete mais segurança na usabilidade com apenas uma mão. Além disso, o acessório é uma alternativa mais simples ao tripé, já que pode ser apoiado em superfícies e deixá-lo em pé.

A boa notícia é que o suporte é compatível com qualquer modelo de celular, seja Android ou iPhone, e custa a partir de R$ 10.

Teclado para celular

 

Teclados para celular não são tão comuns para a maioria dos usuários, mas pode ser muito úteis para quem gosta de trabalhar pelo celular ou não tem um notebook. Eles podem ser usados em dispositivos Android por Bluetooth e dão uma experiência mais próxima a um computador. Os teclados podem ser encontrados em lojas online por preços a partir de R$ 50.

Fones de ouvido sem fio

 

Assim como os carregadores, os fones de ouvido sem fio são úteis por conta da liberdade de movimento. Com eles, é possível fazer suas videoconferências sem o amontoado de cabos na frente, além de aproveitar um som de qualidade. Um modelo prático e com preço acessível é o Redmi AirDots, da Xiaomi, que custa entre R$ 150 e R$ 200. No entanto, se você procura por modelos mais robustos pode experimentar os headphones da Sony.

Projetor

 

O projetor também pode ser usado no celular para expandir a tela e visualizar os conteúdos de forma ampla. A conexão pode ser feita por Wi-Fi e, em seguida, basta apontar o acessório para uma parede plana — e de preferência, branca. Imagina conectar o teclado Bluetooth e o projetor no celular? É basicamente um computador improvisado, não acha?

 

Fonte: Canal Tech

30/06/2020 – 6 Dicas que irão aliviar sua dor nas costas

O tempo passado em casa durante a quarentena provocou um aumento nas queixas de dor nas costas. Os relatos médicos sugerem que o incômodo advém de um conjunto de fatores, mas que pode ser aliviado com medidas simples

 

“É totalmente esperado esse crescimento nas queixas”, menciona João Paulo Bergamaschi, ortopedista do Hospital Samaritano à revista Veja. Primeiro, entra em jogo o sedentarismo, comum na quarentena. É que a inércia enfraquece a musculatura que sustenta a coluna – as dores mais comuns são de origem muscular. Mesmo quem malhava há tempos e diminuiu o ritmo sente esse efeito. 

 

Para amenizar o impacto de cada um desses fatores, procure:

 

1 – Evitar trabalhar sentado no sofá ou deitado na cama;

 

2 – Praticar alguma atividade física, pelo menos três vezes na semana;

 

3 – Levantar de tempo em tempo, evitando passar longos períodos sentado ou deitado;

 

4 – Alongar, sempre que der, os braços, as pernas e a lombar;

 

5 –  Sentar-se mantendo a coluna ereta;

 

6 –  Relaxar a mente, pois o estresse constante contrai os músculos involuntariamente.

 

Fonte: Veja e Hapvida Saúde 

26/06/2020 – Precauções na convivência com infectados pela Covid-19

O cenário ideal para uma pessoa contaminada é o de ausência completa de contato físico com outros. Entretanto, o que fazer quando ela divide casa com terceiros? Confira os cuidados necessários para evitar possíveis infecções:

 

1 – Como permanecer isolado em casa?

 

É conveniente dispor de um quarto exclusivo para ela, sendo recomendável o não compartilhamento de banheiro. Evitar, na medida do possível, estar com o paciente em outros cômodos da casa, mantendo pelo menos um metro de distância.

– Colocar o lixo do paciente em uma lata com tampa dotada de um saco em seu interior com fecho hermético;

– Garantir uma boa ventilação e uma janela com acesso à rua;

– Para minimizar o contato, o paciente tentará se comunicar com o resto dos parentes ou coabitantes por meio do telefone celular;

– Limitar a circulação pela casa a situações estritamente necessárias;

– Ao sair da sala, recomenda-se o uso de máscara e uma correta higiene das mãos com água e sabão ou um desinfetante à base de álcool.

 

2 – Como limpar a casa?

 

É imprescindível realizar uma limpeza diária completa para evitar novas infecções. Atenção especial deve ser dada às superfícies em que a pessoa infectada possa ter tocado.

– A pessoa responsável pela limpeza deve usar máscara e luvas;

– Para a limpeza, deve ser usada uma solução de água sanitária: uma parte do desinfetante para cada 49 de água;

– Limpar diariamente todas as superfícies de contato frequente: maçanetas, mesas, interruptores, torneiras, vasos sanitários, telefones e teclados;

– A louça e os utensílios devem ser lavados com água quente e sabão, de preferência em uma máquina de lavar louça para alcançar os 60 °C;

– A roupa do paciente pode ser lavada separadamente com o detergente habitual em uma temperatura entre 60.º e 90 °C. Deixar secar totalmente.

 

3 – O que deve ser feito com os resíduos?

 

Um tratamento correto dos restos gerados pode evitar possíveis contágios. É essencial usar elementos de limpeza descartáveis, isolar corretamente o lixo em um saco plástico e fazer uma higiene pessoal completa depois do tratamento desses resíduos.

– Jogar as luvas e a máscara no lixo e lavar as mãos em seguida;

– O lixo deve estar dentro de um saco plástico fechado;

– A toalha da pessoa infectada deve ser usada uma única vez e colocada em um balde específico.

 

Fonte: Prefeitura de São Simão

 

25/06/2020 – Descubra receitas para sua festa junina particular

A pandemia suspendeu uma das comemorações de rua mais tradicionais do Brasil, a festa junina. Impossibilitado de comemorá-la ao ar livre, por que não transformar sua casa em um arraiá particular? Junte sua família, decore o ambiente e prepare a seleção de receitas típicas que separamos para você:

 

Pão de Fubá com Goiabada

 

Ingredientes:

 

Farinha de trigo – 700g

Fubá – 300g

Sal – 10g

Erva Doce – 5g

Açúcar – 150g

Fermento biológico – 20g

Ovos – 2 unid.

Manteiga – 100g

Água – por volta de 200g

Goiabada (pedaço) – 400g

 

Modo de preparo: misture as 200g farinha, o fermento todo e os 200 ml de água até formar uma pasta. Reserve por 15 minutos. Adicione todos os ingredientes à massa que estava separada e um pouco de água. Sove a massa, adicionando a água gradualmente até formar uma massa homogênea. Divida-a em pedaços e deixe descansar por 20 minutos. Modele-a novamente e, em formato desejado, passe na água e no fubá. Se preferir, pode cortá-la em pedaços. Reserve e deixe crescer por 2 horas ou até triplicar o tamanho do pão. Por fim, basta levar ao forno pré-aquecido em 160 °C e assar por 20 minutos.

 

Bolo de milho com queijo

 

Ingredientes:

 

Farinha de trigo – 500 g

Milho-verde – 400 g

Açúcar refinado – 500 g

Leite integral – 500 g

Ovos – 06 unid.

Óleo – 300 ml

Fermento químico – 25 g

Queijo mussarela – 300 g

 

Modo de preparo: coloque no liquidificador o milho-verde, óleo, ovos, leite e o açúcar. Bata por dois minutos. Adicione a farinha, o fermento e mexa manualmente. Coloque, em uma assadeira untada, um pouco da massa e forre com o queijo. Coloque o restante da massa cobrindo o queijo e leve ao forno pré-aquecido em 170 °C. Assar por 40 minutos.

 

Maçã do Amor (por Luzinete Veiga)

 

Ingredientes:

 

2 copos de açúcar cristal

1 1/2 copo de água

1 colher de sopa de pinga

3 colheres de sopa de glucose de milho

corante vegetal vermelho até dar a coloração desejada ao caramelo

15 maçãs pequenas

 

Modo de preparo:

 

Misture todos os ingredientes, exceto as maçãs. Leve ao fogo até virar uma calda em ponto de quebrar. Depois, banhe-as na mistura e espete-as (limpas, uma a uma, com álcool) em palito. Coloque-as em uma superfície untada com óleo (em cima de um mármore ou assadeira). Reserve para servir.

Dica: para saber o ponto da calda, separe um recipiente com água e coloque um pouco de calda. O ponto é quando você ouvir um barulho semelhante ao trincar de um vidro.

 

Canjica com coco (por Guilherme Guzela)

 

Rendimento

10 porções de 200g

 

Ingredientes:

 

500 gramas de canjica

500 ml de leite

1 litro de água

2 caixas de leite de coco

100 gramas de coco ralado

1 lata de leite condensado

a gosto de canela em pó

 

Modo de preparo:

 

Deixe a canjica de molho na água durante a noite (12 horas). Coloque a canjica com a água do molho na panela de pressão. Cozinhe a canjica na panela de pressão com a água e o leite. Deixe pegar pressão e quando começar a chiar, conte 30 minutos. Deixe perder a pressão naturalmente (sem colocar embaixo da água). Abra e coloque o leite condensado, o coco ralado e o leite de coco. Mexa bem e cozinhe mais alguns minutos para encorpar um pouco mais. Sirva com canela em pó por cima.

 

Fontes: Gazeta do Povo e A redação.