20/01/2021 – Como ser um síndico mais preparado?

Para ser um gestor condominial eficiente e realizar todas as atribuições como síndico de forma qualificada, os profissionais precisam de organização, disciplina, responsabilidade e muita dedicação.

Isso porque a administração de condomínios é uma atividade repleta de particularidades e que interfere no bem-estar dos moradores, bem como no desenvolvimento do mercado imobiliário.

Além disso, os síndicos devem estar preparados para lidar com situações adversas e vencer grandes desafios, como os que foram enfrentados durante a pandemia de Covid-19, em que muitos condomínios fecharam as áreas comuns e adotaram medidas extremas de segurança para preservar a saúde de todos.

Também é importante que o gestor condominial tenha paciência para lidar com conflitos e busque equilíbrio na convivência com os condôminos. Outro ponto necessário para o trabalho do síndico é fazer uma boa gestão financeira das contas e acompanhar de perto o andamento das atividades dos prestadores de serviço e das equipes de portaria.

Nesse sentido, é essencial que os síndicos tenham conhecimento sobre questões relacionadas a rotinas administrativas, contabilidade, finanças, legislação condominial, manutenção predial, técnicas de comunicação e muito mais. Todas essas áreas possuem aspectos relevantes para a excelência na gestão condominial.

Fonte: Secovi Rio

19/01/2021 – Veja como decorar varanda de apartamento e deixar o espaço incrível

Mesmo em apartamentos pequenos, é possível ter uma varanda que se assemelhe a um verdadeiro oásis. Se você está se perguntando como decorar varanda e trazer um astral maravilhoso para o seu ler, veio ao lugar certo. Daremos algumas dicas para aproveitar melhor esse espaço, aliando funcionalidade e estética em doses exatas.

Afinal, pouco adianta ter uma varanda bonita se não for possível desfrutar do espaço, seja recebendo os amigos, seja lendo um bom livro. Continue a leitura e inspire-se para aproveitar todo o potencial da sua varanda!

Defina as funcionalidades do ambiente

Antes de começar a decoração em si, é preciso definir o conceito e os acabamentos do local. Quais as funcionalidades que você deseja para esse ambiente? Varandas de dimensões maiores permitem até mesmo criar um espaço gourmet completo, com churrasqueira e bancadas. Se o espaço for menor, que tal uma mesinha para o chá da tarde e uma bela rede para descanso?

Quanto mais multiuso for o local, melhor. Assim, além de ter um lugar gostoso para receber as visitas, você poderá aproveitá-lo também quando estiver só. Uma boa ideia é colocar uma bela poltrona de leitura em um dos cantos, complementando o espaço com vasos e arranjos de sua preferência. Inclusive, se você gosta de plantas, fazer um jardim vertical em uma das paredes também é uma excelente ideia.

Escolha um estilo de decoração

O estilo de decoração é responsável por trazer harmonia ao cômodo, equilibrando o olhar e evitando o excesso de informações. Por isso, é fundamental escolher um estilo que contribua para uma atmosfera onde todos os elementos dialoguem entre si e que, ao mesmo tempo, traduza o seu gosto e personalidade.

A decoração natural — que combina madeira e elementos naturais como pedras e fibras — é uma das maiores tendências quando o assunto é como decorar varanda com beleza e requinte. Além de reforçar aquela gostosa sensação de natureza dentro de casa, a combinação desses elementos favorece o clima intimista da área, contribuindo para o conforto e relaxamento no ambiente.

Capriche na iluminação do local

Uma boa iluminação tem o poder de transformar qualquer espaço em um lugar muito mais convidativo e agradável. Não seria diferente com as varandas. Se o seu espaço for totalmente aberto ou semiaberto, a luz natural já cumpre parte desse papel na configuração de um ambiente aconchegante, especialmente para quem aposta no Urban Jungle nessa área.

De qualquer forma, é importante priorizar a iluminação central com uma lâmpada mais potente. Quanto à temperatura da cor, isso dependerá da funcionalidade da varanda. Geralmente, lâmpadas quentes são as mais indicadas, pois favorecem o clima de acolhimento. Próximo à área de leitura, você pode colocar uma luminária de lâmpada branca para estimular o raciocínio e a concentração.

Priorize móveis de primeira qualidade

Os móveis são peças-chave na decoração de uma casa. Afinal, são os primeiros elementos que saltam aos olhos quando adentramos o lar. Portanto, capriche na escolha e priorize a qualidade dos materiais. Sobretudo em varandas, é preciso estar atento às intempéries climáticas na hora da escolha do mobiliário, optando por materiais resistentes.

A madeira devidamente tratada é uma das opções mais escolhidas, tanto para decks quanto para os móveis em si, como aparadores, mesas e banquetas. Além da versatilidade na combinação, a mobília amadeirada deixa o local mais sofisticado. Se quiser dar um toque de cor, aposte em almofadas e tapetes em tons vibrantes. Fica um charme!

Agora que você já sabe como decorar varanda de apartamento aliando beleza, praticidade e sofisticação, é só escolher os itens de sua preferência e montar mais esse cantinho especial no seu lar para receber os amigos com o conforto e o astral que eles merecem!

Fonte: Imóvel Web

18/01/2021 – Decisão de reabrir áreas comuns volta a ser dos condomínios

Os condomínios da cidade do Rio voltam a decidir se liberam ou não as suas áreas comuns, segundo decreto 48.423 de 2021 publicado na última quarta, dia 13, no Diário Oficial do município. A determinação revoga o decreto 48.279 do final de 2020, que proibia a utilização de espaços como piscinas, saunas e churrasqueiras.

Para o advogado Leandro Sender, a decisão da Prefeitura é coerente. “Já que outras áreas de lazer de hotéis e clubes, além das praias estão liberadas, não teria sentido restringir os espaços dos condomínios. Importante ressaltar que esta reabertura tem que levar em conta todos os cuidados para evitar a propagação da Covid-19, como utilização de máscaras, distanciamento, limpeza frequente dos ambientes e álcool em gel, entre outras soluções”, destaca Sender.

O também advogado André Luiz Junqueira explica a nova sistemática de alerta, de acordo com a resolução: a cada semana, o Centro de Operações de Emergência vai divulgar qual é a faixa de risco de contágio da Covid-19 na cidade. Os níveis de alerta são 1, 2 e 3, risco moderado, alto e muito alto, respectivamente. “O anexo desta resolução enquadra diversas atividades nestes três níveis distintos de risco e determina como elas podem ser realizadas e exploradas”, diz Junqueira.

Ele alerta ainda para que os síndicos e os administradores de imóveis tenham atenção, pois diversas disposições são aplicáveis a condomínios. “É um decreto que tem tanto medidas permanentes quanto medidas variáveis. As permanentes é preciso obedecê-las sempre e as variáveis vão alterar de acordo com o nível de risco que o Centro de Operações de Emergência vai divulgar”, explica. Por isso, complementa o especialista, é importante que o gestor fique atento em qual risco o condomínio se enquadra e qual dos itens do anexo terá que obedecer.

Fonte: Mercado Imobiliário Net

16/01/2021 – Como lidar com o aumento das compras online em condomínios?

As medidas de isolamento social fizeram o setor de e-commerce dar um salto gigante no ano de 2020, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) o aumento nas compras onlines foi de 56,8%. Essa realidade é refletida diretamente na rotina condominial, com um fluxo de encomendas e pedidos de delivery maior que o antigo normal. 

Para controlar melhor os acessos e, em simultâneo, continuar com as outras atividades do dia a dia, existem algumas medidas que a gestão pode tomar visando facilitar o trabalho de todos:

Lockers (armários inteligentes) podem ser uma boa opção para haver um controle e independência do morador para com a portaria. Essa prática pode ajudar tanto o recebimento como na rotina dos porteiros, conseguindo focar em outras questões relevantes;

Novos profissionais: uma ideia que funciona é selecionar um profissional que fique apenas na área de entregas e delivery, transformando em uma tarefa única, centrada e mais otimizada;

Portaria remota: outra solução é a implementação de portaria remota, onde de longe, um trabalhador qualificado fica a par de tudo o que acontece pelo condomínio e possui meios digitais para solucioná-los.

A tecnologia sempre é uma das maiores aliadas do síndico neste momento, mas claro, recorrendo aos meios tradicionais para solidificar as resoluções. E é exatamente assim que a Zirtaeb trabalha diretamente com você, gestor. Procuramos atualizar, otimizar e melhorar o seu trabalho diariamente. Venha conversar conosco e entender melhor como podemos ajudá-lo: zirtaeb.com/contato/

Fontes: Condomínios SC; ABCcomm.

14/01/2021 – Dicas para decorar o hall de entrada de um condomínio

Por ser um local por onde transitam muitas pessoas, o hall de entrada de um condomínio merece atenção especial no momento da decoração. Capaz de proporcionar uma sensação de receptividade aos visitantes e moradores, o ambiente reflete o conceito do prédio e os cuidados, inclusive em relação à conservação.

Por que decorar o hall?

O décor do local é importante para humanizar e dar personalidade ao espaço. Isso permite que os moradores se identifiquem com o condomínio. A arquiteta Camila Pinotti afirma que também é essencial observar o funcionamento dele como uma antessala, que deve ser agradável a quem utiliza a área.

Como escolher o décor?

“É indicado priorizar a funcionalidade e a manutenção. Por isso deve ser um ambiente com revestimentos fáceis de limpar, móveis que possam se deslocar sem complicações, resistentes e atemporais”, explica o arquiteto Renan Pinotti, do Fibra Arquitetura. Esses itens levam em consideração o número de indivíduos que passam pela entrada do prédio. 

O arquiteto também destaca que avaliar as particularidades de cada edifício (e dos moradores) é relevante para definir o projeto. “Em um condomínio residencial com maioria idosa, por exemplo, o uso de poltronas inclinadas não é recomendado, pois dificulta o movimento de sentar e levantar”, diz.

Outra recomendação é lembrar que o hall de entrada faz parte de um conjunto, ou seja, precisa dialogar com estilo arquitetônico do restante da construção. Sugestão que pode ser adotada em todas as áreas comuns, como academia e salão de festas.

Paleta de cores e mobiliário

Pensando na coletividade, os tons neutros são apostas mais comuns e seguras. Vale se basear nas tonalidades que já estão presentes no restante do prédio e apostar em tons pastel. Os toques chamativos podem ser aplicados nos elementos decorativos ou em uma parede específica.

Quanto aos móveis, o arquiteto Leandro Garcia conta que a escolha varia conforme o tamanho do hall. Para entradas pequenas, aparadores menores são complementados por vasos, luminárias e obras de arte. “Em áreas maiores, poltronas e mesas de apoio configuram um ambiente de permanência. Só não se esqueça de sempre manter as áreas de circulação bem definidas e livres de interferências”, enfatiza Leandro.

Como manter o hall em boas condições?

Dê preferência a pisos que não sejam escorregadios para garantir a segurança. “Você até pode adotar porcelanato, mas deve-se analisar se há uma boa aderência. É possível trabalhar com pisos que tenham acabamentos naturais ou pedras com acabamento flameado (que tem aspecto ondulado), sugere Camila Pinotti. Nas paredes, opte por materiais que facilitem a limpeza, como pintura acetinada ou cimento queimado, por exemplo.

Como a iluminação transforma o hall de entrada?

De acordo com a arquiteta Paula Carvalho, a iluminação deve orientar a circulação e ser aconchegante para que o morador sinta-se como se estivesse dentro de casa. Os pontos de luz decorativos ressaltam quadros e a utilização de arandelas – ou de um lustre principal – valoriza a composição do condomínio.

Dicas para tirar o projeto do papel

Renan Pinotti salienta que a contratação de um profissional com conhecimento técnico, permite a escolha de materiais adequados e que realcem a estética do edifício, sem perder a unidade. A participação de um especialista também possibilita a imparcialidade das decisões, intermediando as diferentes opiniões dos condôminos.

Por outro lado, quando se fala em reformas em condomínios, é fundamental lembrar que deve-se levar em conta o regulamento interno, estatutos e procedimentos pré-definidos na documentação do prédio, além de promover a participação dos moradores. “Também é necessário levantar os custos da mudança e estudar um casamento entre a execução da reforma e o fluxo de caixa do condomínio”, finaliza Pinotti.

Fonte: Revista Casa e Jardim

13/01/2021 – 5 previsões de como ficarão as cidades após a Covid-19

Depois de 2020, o mundo certamente não será o mesmo. Com a pandemia de coronavírus, muitos hábitos mudaram: nossa relação com os outros e com a casa, a maneira de trabalhar e a preocupação constante com a saúde. Mas, em vez de recontar esta história, por que não olhar para frente e prever o que de bom pode se esperar de 2021 que não aconteceria sem um 2020 definido pela pandemia?

Confira cinco soluções de curto prazo para as cidades e sistemas de transporte:

Centros sem carros

Hoje, os centros urbanos estão mais vazios. Há indicadores de que quando a pandemia terminar, muitas empresas permanecerão em regime de home office, seja ele integral ou parcial. Menos trabalhadores diários no centro da cidade significam menos empresas que dependem deles para a sua clientela, especialmente restaurantes e varejo. Sem estes empreendimentos, há menos atrações para os visitantes. Tudo isso significa que os centros urbanos terão que se reinventar radicalmente para sobreviver a essa ameaça existencial à sua relevância.

Como primeiro passo, muitas cidades aproveitarão a oportunidade para finalmente abandonar os carros. Isso liberará nossos espaços nas ruas. Podemos esperar que algumas avenidas se transformem em feiras livres, outras abrigarão food trucks e restaurantes pop-up.

Os restaurantes terão mais espaço para refeições ao ar livre. Os shows e festivais voltarão às orlas. Teremos mais tráfego de pedestres, oferecendo suporte a mais empresas. Ar mais limpo e ruas mais silenciosas serão um bônus.

Mais serviços de entrega

A pandemia foi um grande impulso para a entrega de alimentos. Muitos restaurantes tiveram que criar protótipos e implantar rapidamente seus próprios serviços de entrega ou fazer parceria com UberEats, iFood e Rappi para sobreviverem. Esses serviços provavelmente persistirão, mesmo quando já pudermos jantar juntos em um ambiente fechado.

Talvez o mais importante seja que esse modelo de produtos e de serviços que vão para os clientes – em comparação com nosso modelo tradicional de pessoas que vão para os produtos e serviços – se expandirá muito além dos restaurantes. Os perigos de 2020 ensinaram as melhores empresas a atender seus clientes onde estão, o que pode significar ir pessoalmente ao local de serviço e em um dia apostar em uma experiência móvel em outro.

Na prática, como será? Podemos esperar, por exemplo, que fornecedores especializados, como lojas de bicicletas, comecem a oferecer serviços de reparo e ajuste diretamente na casa do cliente. Ou que livros e bibliotecas sejam ofertadas também de forma direta, que barbearias se tornem móveis e que o personal trainer instrua o treino em sua própria garagem.

Embarque de aeronave sem filas

Os processos que as companhias aéreas usam para embarcar seus passageiros têm estado abaixo do ideal por décadas. É tão terrível que, para algumas rotas de curta distância, os passageiros podem passar mais tempo esperando no portão e embarcando na aeronave do que realmente voando.

Em 2020, as melhores companhias aéreas aproveitaram a oportunidade para desenhar novos processos de embarque. Embora ainda não tenham surgido, espera-se que venham alguns truques notáveis: primeiro, levar-nos a um portão do aeroporto muito mais perto do embarque e, segundo, dar-nos as boas-vindas a bordo sem ter esperado em uma fila. Nada disso terá acontecido sem nossas novas aversões à aglomeração.

Raio-x além do aeroporto

As filas para embarcar na aeronave não são as únicas que sofrerão uma reforma. Mesmo antes da pandemia, muitos aeroportos lutavam para evitar a aglomeração de passageiros no raio-x. Além disso, esses pontos de verificação ainda não se beneficiaram de um processo de design voltado para o futuro. Todas essas caixas de plástico representam a teimosa persistência dos sistemas criados há duas décadas, após os ataques terroristas de 11 de setembro.

Em 2021, espera-se novos processos que ampliem a triagem de segurança fora da área física do aeroporto, como pontos de controle em locais descentralizados, que forneçam transporte diretamente para além do ponto de controle de segurança no aeroporto.

O primeiro desses locais descentralizados ainda estará na propriedade do aeroporto, mas, eventualmente, surgirão em outros lugares mais distantes, incluindo estações de trânsito e talvez até grandes hotéis.

Tudo ficará mais limpo

Vamos encarar: antes de 2020, nem todos nós estávamos lavando as mãos com tanta frequência. Nossas casas, escritórios, academias e outros espaços do dia a dia não estavam sendo limpos como deveriam. Nossas interações uns com os outros e com esses espaços muitas vezes estavam longe de ser higiênicas, como evidenciado por todos os tipos de mau comportamento – desde deixar de cobrir tosses e espirros a cuidados públicos inoportunos.

Mas a pandemia nos deu uma nova apreciação – e demanda – por limpeza. Essa mudança em nosso comportamento é muito mais do que algo bom de se ter, pois as medidas que implementamos para refletir nossa nova ênfase em saúde e limpeza nos ajudarão a evitar os piores efeitos da próxima pandemia.

Fonte: Revista Casa e Jardim

12/01/2021 – Como cuidar dos pets no calor

Se para nós, humanos, o calor intenso já traz forte mal-estar, as sensações ruins podem ser ainda maiores nos animais de estimação. Por conta disso, é essencial tomar alguns cuidados especiais com nossos pets neste período.

As altas temperaturas podem fazer com que cachorros e gatos fiquem desidratados, ofegantes ou que cheguem até a desmaiar. Para evitar situações desconfortáveis para o seu melhor amigo de quatro patas, conversamos com a veterinária Karoliny Iorgov e listamos algumas dicas e cuidados para seguir nos meses mais quentes. Confira!

1. Hidratação

Beber bastante água nos dias quentes não é uma recomendação que vale só para nós, humanos, mas também para os nossos animais de estimação. É fundamental que os pets se mantenham hidratados durante o dia para repor o que foi perdido por meio da transpiração. Para isso, segundo Iorgov, é necessário espalhar diversos potes de água pela casa.

2. Exposição solar e hora do passeio

A exposição solar é outro fator que exige muito cuidado nos dias quentes. De acordo com a veterinária, alguns animais precisam utilizar filtro solar. Portanto, é importante conversar com um veterinário para saber se o seu pet faz parte desta lista e entender qual é o produto mais aconselhado. Em geral, os cães brancos com focinho rosado necessitam de bastante filtro solar nestes dias.

Apesar de ser um momento relaxante e muito importante para a saúde dos pets, é preciso se atentar também com a hora dos passeios nos dias quentes. Para evitar que os cachorros sejam fortemente expostos ao sol, os horários mais recomendados para levá-los para passear são, de manhã, das 7h às 9h, ou a tarde, das 16h às 19h. Mesmo seguindo estes horários, que são mais frescos, ainda é importante checar se o chão está com uma temperatura confortável. “Se você acha que seria ruim para você andar sem calçado, jamais leve seu pet. Eles são muito mais sensíveis que os humanos”, explica a veterinária.

Nesta hora, os cuidados devem ser ainda maiores com animais braquicefálicos, como os pugs, bulldogs, shih tzu ou pequinês, por exemplo. Estas raças possuem uma tendência maior a desenvolver problemas respiratórios e, por conta disso, o passeio pode não ser recomendado em dias quentes. Se o seu melhor amigo de quatro patas é de uma destas raças, é importante levá-lo ao veterinário para saber se há alguma restrição.

3. Alimentação

Se nós preferimos alimentos mais frescos no calor, já dá para esperar que nossos animais de estimação também possuem este mesmo desejo. Além da alimentação habitual, alimentos refrescantes, como cenoura, maçã, melancia e melão também são aconselhados. Para os gatos, a ração úmida é uma ótima opção em temperaturas mais altas.

Algumas frutas, que costumam ser bem refrescantes, podem ajudar a manter a alta imunidade nos animais, mas é importante que os donos tomem alguns cuidados para não alimentar os pets com alimentos que podem trazer danos à saúde. As frutas cítricas e o caqui, por exemplo, podem causar irritação no estômago dos pets. Já as uvas são tóxicas para os animais e podem causar lesões renais. Além disso, o abacate pode causar vômitos e a cereja pode conter cianeto e prejudicar o transporte de oxigênio celular. Por fim, as bananas são bastante calóricas. Por conta disso, deve-se manter um consumo moderado para que os animais não sofram com obesidade ou diabetes.

Fonte: Casa Vogue

11/01/2021 – IPTU, IPVA, material escolar em 2021: é melhor pagar à vista ou parcelar?

Janeiro chegou e, com ele, os impostos, como IPVA e IPTU, e despesas extras, como a lista de material escolar, que estouram o orçamento de muitas famílias. São compromissos que se repetem todos os anos, mas após um 2020 de crise econômica e desemprego, o planejamento financeiro se tornou ainda mais complicado.

Por isso, qualquer facilitação na hora de pagar os boletos, como descontos ou parcelamento, é bem-vinda para muitas famílias. A questão é saber então quando vale a pena ou não trocar as mensalidades por um desconto na fatura à vista.

Educadores financeiros destacam que as dicas dependem da situação de cada família. Se a pessoa não tem uma reserva ou investimento, haverá espaço no orçamento mensal para incluir essas despesas? Ou, mesmo para aquela pessoa que tenha investimentos, vale sacar uma parte para aproveitar descontos? Veja abaixo algumas situações.

IPVA tem desconto de 3% a 15%

Em relação ao IPVA, o desconto e o prazo de pagamento variam de estado para estado. Em alguns, como São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, os descontos são de 3% para pagamento à vista ou parcelamento em até três meses.

Bahia, Maranhão e Paraíba concedem descontos maiores, de 10% para pagamento à vista, com parcelamento também em três vezes. E há abatimentos ainda maiores, como no Mato Grosso do Sul, onde a redução chega a 15% para quem quitar de uma vez só, sendo o parcelamento de cinco meses.

No caso do IPTU, também há grandes variações. Na cidade de São Paulo, por exemplo, o desconto é de 3%. Em Belo Horizonte, 6%, no Rio, 7%, e em Campo Grande (MS), o abatimento atinge 20%. Na maioria dos casos, o imposto pode ser parcelado em até 10 vezes.

O que vale para quem tem investimento?

Com regras tão distintas, cada caso é um caso, mas, quanto maior o desconto, mais vale a pena sacar parte do investimento para aproveitar o abatimento. Afinal, os juros estão baixos, e nenhuma aplicação de renda fixa tradicional vai compensar.

Mesmo no caso de um desconto de 3% para pagamento em três vezes pode valer a pena, do ponto de vista da matemática financeira. Vamos lembrar que a primeira parcela já é paga à vista. Então, arredondando, a pessoa vai ter um desconto que representa um ganho de 1,5% ao mês. Ainda assim, nenhuma aplicação de renda fixa dá isso – Jhon Wine, vice-presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros).

E quem tem pouco na reserva?

Mas esse mesmo educador financeiro faz um alerta: na hora de escolher uma forma de pagamento não adianta considerar apenas a questão matemática. “Não adianta ficar sem parcelas de IPTU e IPVA e acabar zerando as reservas financeiras. A pessoa fica sem sustentabilidade financeira para enfrentar qualquer imprevisto”, diz Wine, também membro da Dsop Educação Financeira.

Segundo ele, o tamanho dessa reseva financeira varia de acordo com a situação de cada pessoa, em relação à estabilidade de emprego e renda, por exemplo, mas precisa ser de, no mínimo, um valor equivalente a três vezes os gastos mensais familiares.

Pagar à vista ou investir a sobra?

Para quem tem um orçamento mais folgado e pode escolher entre pagar à vista com desconto ou aplicar o dinheiro extra para render enquanto quita as mensalidades, a opção de quitar à vista pode ser mais interessante, dizem especialistas.

Como já visto, as aplicações de renda fixa não devem bater os descontos oferecidos pelos governos no IPTU e no IPVA, mesmo os menores, de 3%.

Material escolar parcelado no cartão?

No caso do material escolar, o gasto pode ser parcelado no cartão de crédito. Mas fique atento aos juros cobrados e peça um desconto à vista.

Novamente, a pessoa precisa avaliar se esse saque não vai raspar demais a reserva de emergência da família.

Ao parcelar, a pessoa mantém a reserva de emergência. E o ano de 2020 mostrou a importância de se ter uma reserva. Se esses pagamentos cabem no orçamento, melhor não mexer na reserva financeira – André Medeiros, educador financeiro da DSOP Educação Financeira.

Padrão de vida está errado?

Se a família perceber que os valores desses impostos e despesas escolares estão pesando muito, vale repensar o padrão de vida.

“Se os valores desses impostos estão acima da capacidade de pagamento, provavelmente o padrão de vida e as posses da pessoa estejam acima do adequado para o momento que ela vive”, diz Jhon Wine, vice-presidente da Abefin.

A família pode buscar um imóvel mais barato, seja próprio ou alugado, ou procurar um veículo de menor valor. Se tiver com dois carros, ficar só com um.

Fonte: Uol Economia

11/01/2021 – Como fazer o planejamento para 2021?

O início do ano é a época perfeita para começarmos a pensar nas metas e objetivos que queremos atingir! Embora 2020 tenha sido um ano atípico, pode servir como base para planejarmos 2021 de forma mais cautelosa e certeira.

Comece se perguntando: quais dos meus objetivos eu consegui cumprir? A pandemia afetou diretamente a maioria deles ou foram outros problemas externos/internos a mim? As respostas servirão como guias para realizá-los, agora com novo pensamento e melhor conhecimento sobre a situação do mundo.

Entre os seus planos está comprar uma casa nova ou outro bem durável? Aposte no planejamento financeiro pessoal ou profissional. É o momento certo para organizar todas as contas, debitar dívidas menores e rearranjar seu dinheiro de acordo com prioridades bem estabelecidas.

É importante entendermos que a crise sanitária influenciou não só individualmente, como toda a sociedade. Precisamos criar novas filosofias de vida onde consideramos o todo, para então, olharmos para nós mesmos, respeitando nosso tempo e agindo diretamente para conseguir realizar nossas metas. 

A Zirtaeb espera poder ajudá-los nesse novo ano, seja encontrando sua casa ideal, no preço certo para você, ou na administração do seu condomínio, ajustando as contas e desenvolvendo um trabalho conjunto! Conte conosco em 2021!

08/01/2021 – 5 dicas de como começar seu 2021 no azul

A virada do ano é o momento de fazer um balanço do ciclo que se passou e começar a desenhar os planos para o futuro. E, para dar asas aos novos projetos, uma questão é essencial: colocar as contas em dia. . Quitar dívidas, organizar despesas, criar reservas e outros cuidados do tipo são importantes para iniciar o novo ano com o pé direito, evitando sufocos e, assim, tirar as resoluções de ano novo do papel.

Com a chegada do novo ano é necessário se preparar para uma série de gastos, entre eles, reajuste do aluguel, impostos como IPVA e IPTU, além das mensalidades e lista de material escolar dos filhos. Se entre suas metas para 2021 está passar um pente fino no orçamento, é bom começar agora!

Os índices econômicos apontam que 2021 pode trazer um clima de incertezas. O Brasil ainda se recupera dos efeitos da pandemia, o que se reflete nos valores praticados no mercado. O Banco Central prevê uma inflação de 4,21% para o próximo ano, o dólar deve ter uma queda chegando a custar R$ 5,10, já a projeção da taxa Selic é de 3%. Assim, toda prevenção financeira será bem-vinda para se proteger de qualquer imprevisto.

Confira alguns conselhos para acertar no planejamento e começar 2021 com tudo.

1) Faça um balanço financeiro

É muito difícil fazer um planejamento financeiro sem conhecer a fundo com o que gastamos nosso dinheiro. Para ter uma boa noção sobre sua situação atual, leia as faturas do cartão e os extratos da conta dos últimos cinco meses. Você entenderá melhor as são suas principais despesas e, o melhor, encontrará custos para cortar.

Para ajudar a colocar as contas em ordem, recorra às planilhas e aplicativos de finanças. Seja pelo computador ou pelo celular, são ótimas ferramentas para manter o controle do seu orçamento e decidir quais ajustes podem ser feitos.

2) Troque as dívidas mais caras, por dívidas mais baratas

Quando as contas apertam, é preciso manter a calma. Primeiro, é importante diagnosticar o cenário com cuidado e buscar alternativas, evitando tomar decisões impulsivas. Às vezes, no desespero de quitar uma dívida, é comum recorrer às opções mais fáceis e caras, como o cartão de crédito ou o cheque especial.

3) Corte os chamados “gastos invisíveis”

Por exemplo, se você não tem prestado atenção na fatura do seu cartão de crédito, é possível que um efeito da quarentena de 2020 tenha passado despercebido: multiplicaram-se as assinaturas de serviços de streaming, mensalidades de aplicativos de academia e delivery de compras. Custos que, sozinhos, parecem pequenos podem ir se somando a outros gastos recorrentes e automáticos (e muitas vezes desnecessários) e, no fim do mês, complicar o orçamento.

É importante criar o hábito de analisar com lupa a fatura para achar esses “gastos invisíveis” e tornar suas finanças mais eficientes e bem aplicadas.

4) Crie sua reserva de emergência

Imprevistos e emergências acontecem, mas estar preparado para lidar com esses momentos pode fazer toda diferença. Quando aplicar as dicas acima, procure se organizar também para, aos poucos, separar uma reserva de emergência.

Assim, se houver uma urgência, você poderá evitar adquirir novas dívidas e também, se poupar de muito estresse emocional – que pode, inclusive, levar a atitudes imediatistas que podem acabar comprometendo o futuro.

5) Controle seu dinheiro (e não deixe seu dinheiro te controlar)

Por último, é importante reforçar: a disciplina e o uso consciente do seu dinheiro e do crédito a que tem acesso é a chave para manter as contas em dia, durante o ano todo ou de um ciclo para o outro. Com um gerenciamento cuidadoso, o dinheiro não te controlará nem será um obstáculo para os seus planos, seja comprar um imóvel, um carro, ou fazer uma viagem no próximo ano. Lidar com as finanças é aprender também a ter controle emocional.

Fonte: Correio Braziliense