Seguro-fiança quer se tornar principal garantia para aluguel

Com a valorização imobiliária dos últimos anos nas maiores cidades do pars, a consequente queda no número de vendas de imóveis novos gerou um aumento da procura por aluguel. Entre as garantias de locação exigidas pelas imobiliárias e locatários, o seguro-fiança quer despontar como principal opção.

De acordo com levantamento feito pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), o seguro foi utilizado em 20% das moradias locadas na capital paulista em fevereiro. Já a porcentagemdaquelesque optaram por fiador e depósito caução no mesmo mês somou 47% e 33%, respectivamente.

A análise da série histórica do Secovi mostra ainda que o seguro-fiança apresentou pouca variação entre os meses do ano passado, porém, entre maio de 2007 e maio de 2013, a porcentagem de contratos fechados saltou de 15,1% para 20,5%.

No mesmo período, a porcentagem daqueles que optaram por fiador e depósito caução caiu de 51,1% para 48% e de 33,8% para 31,5% respectivamente.

“Depois desse aumento, a modalidade ocupou seu espaço no mercado. Isso se deve principalmente ao aumento do fluxo de migração dentro do país, que força o consumidor a optar pelo aluguel para manter sua mobilidade. Como a pessoa de outro estado não tem fiador, acaba optando pelo seguro”, explica o superintendente da Porto Seguro Aluguel, Luiz Henrique.

O seguro de fiança locatícia nasceu como uma alternativa, pois elimina a necessidade do locatário ter um responsável com Imóvel próprio na mesma cidade e garante que o proprietário do imóvel receba aluguel e encargos vencidos caso o inquilino não honre com as pagamentos.

Para as imobiliárias há ainda a vantagem de eliminação dos custos, já que a análise do cadastro do inquilino é feita pela seguradora.

“Estamos trabalhando para levar conhecimento para a população sobre os requisitos e benefícios do seguro, como a cobertura de gastos com a manutenção do imóvel. A tendência é uma queda cada vez maior no uso do fiador, dessa forma, nosso objetivo é ocupar esse espaço e alcançar a preferência entre as garantias de locação”, afirma o executivo.

(Brasil Econômico)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *