Na atualidade, o termo sustentabilidade é bastante utilizado em todas as áreas, entretanto, precisamos entender o conceito para aplicar de forma correta nas organizações. Sustentabilidade é a capacidade de sustentação ou conservação de um processo ou sistema. A palavra sustentável deriva do latim sustentare e significa sustentar, apoiar, conservar e cuidar. O conceito aborda a maneira como se deve agir em relação à natureza.

 

Os três pilares que apoiam a sustentabilidade são: social, meio ambiente e economia. Com base nesse tripé, as organizações que desejam obter o título de empresa sustentável precisam, então, estar alinhadas com as boas práticas e com os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável).

 

Todos os condomínios residenciais e empresariais construídos hoje no país já são dotados de infraestruturas necessárias para facilitar as ações em prol do meio ambiente. Entretanto, nas construções antigas são necessárias intervenções, que podem demandar investimento com custo inicial significativo. Contudo, a economia poderá ser facilmente percebida a longo prazo.

 

Um condomínio sustentável busca, na sua essência, reduzir os custos internos sem gerar impacto ao meio ambiente, assumindo a responsabilidade social com seu público interno e externo. Entretanto, para alcançar esse objetivo, algumas práticas precisam estar bem definidas dentro da organização para evitar o uso desnecessário dos recursos naturais, diminuindo a poluição do ar, águas e solo.

 

O IPTU verde já é uma realidade em todos os grandes municípios do Brasil, possibilitando redução da alíquota do imposto aos imóveis que têm práticas sustentáveis. Outra forma de saber se um condomínio é sustentável são as certificações socioambientais – selo verde.

 

Entre as diversas práticas de sustentabilidade que um condomínio pode aplicar estão:

 

• Eficiências energéticas: para reduzir o consumo de energia dentro do condomínio, faz-se necessário investimento em placas solares para as áreas comuns, instalação de sensores de presença e substituição das lâmpadas fluorescentes por LED, que são muito mais econômicas.

 

• Economia de água: o reaproveitamento e a captação de água de chuva são boas opções para condomínios. Todavia, essa água serve para limpeza e jardim. Outra alternativa bastante eficaz são os sistemas de monitoramento de hidrômetro predial, que realiza o controle diário das medições e detecta quando há vazamento em alguma unidade.

 

• Coleta seletiva: é um mecanismo de suma importância no processo de sustentabilidade em condomínio, já que além do viés da responsabilidade social com as cooperativas de resíduos sólidos, serve também como instrumento de educação ambiental.

 

Portanto, precisamos promover a sustentabilidade dentro dos condomínios, preservar e conservar os recursos naturais para manter o equilíbrio no planeta e, dessa forma, é possível mitigar os impactos ambientais nos ecossistemas.

 

Fonte: Área Comum