Horta comunitária é tendência em centros urbanos
Verduras e legumes frescos à disposição para o almoço e jantar. Parece complicado? Aparentemente pode dar trabalho, pois a terra exige cuidados e a conservação dos alimentos deve ser feita com atenção. No entanto, a Quinta da Estância, maior fazenda de turismo rural e pedagógica do Brasil, aposta na ideia da horta comunitária para os grandes centros urbanos.
“Essa opção é muito utilizada no exterior e pode ser facilmente aplicada no Brasil. É preciso apenas que os vizinhos conversem e concordem em dividir um espaço saudável”, revela Sônia Goelzer, fundadora da Fazenda.
Locais como Reino Unido, Canadá e Estados Unidos permitem que esses espaços se tornem públicos e os utilizam, inclusive, para estreitar laços entre a vizinhança. “Reúna os vizinhos de um condomínio ou mesmo de um bairro e sugira a ideia. Um espaço protegido do sol e que comporte terra é o essencial. Sempre temos algum cantinho que ainda não foi utilizado”, explica.
A ideia deve ganhar força nos próximos anos, pois as pessoas se preocupam mais com a alimentação. “O consumo de orgânicos aumenta e a busca pela saúde tem se tornado prioridade nas famílias brasileiras”, conta.
Vale lembrar que algumas prefeituras disponibilizam sementes gratuitamente e já proporcionam instrutores para dar dicas à comunidade. “Se informe com a prefeitura da sua cidade e verifique quais são as possibilidades de ajuda”, sugere. Para a horta, Sônia aconselha que cada um tenha seu espaço e se torne responsável pelo cultivo do que escolheu plantar.
“As famílias devem ter liberdade de escolha e respeitar o espaço do outro. No entanto, compartilhar os alimentos é uma forma de tornar a horta realmente comunitária”, conclui.
(Quinta da Estância)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *