Secovi Rio apresenta resultados de 2015 e perspectivas para os próximos anos

 

Em 2015 o Sindicato da Habitação se fortaleceu como principal representante do segmento de comércio e serviços imobiliários, realizando cerca de 4.100 atendimentos jurídicos aos seus representados, capacitando 2.500 pessoas nos cursos realizados pela universidade corporativa, acompanhando 334 projetos de lei que pudessem interferir negativamente no setor, ampliando campanhas de responsabilidade social como a de doação de sangue em parceria com o Hemorio, entre outras ações.

 

 

Os resultados do exercício de 2015 do Sindicato foram apresentados pelo presidente da entidade, Pedro Wähmann, durante um café da manhã, nesta terça-feira (15/3), na churrascaria Fogo de Chão, em Botafogo, ao qual compareceram 140 empresários do setor imobiliário e síndicos. “O momento político e econômico que estamos vivendo nos convida a uma reflexão. Para onde estamos indo? O que podemos fazer para aumentar nossa produtividade? Mais do que nunca é preciso ter criatividade, engajamento, foco, coragem etc”, disse ele, que apresentou os principais resultados da entidade ao lado dos diretores Leonardo Schneider, Ronaldo Coelho Netto, João Augusto Pessoa, Alexandre Correa e Maria Teresa Mendonça.

 

 

Wähmann citou um importante feito de 2015, a criação da Câmara de Mediação, que tem como objetivo resolver de forma ágil os conflitos imobiliários e que começa a atuar já no primeiro semestre de 2016. Schneider ratificou a importância dos convênios internacionais. “É a melhor maneira de nos atualizarmos aprendendo sobre as melhores práticas mundiais no setor. Em 2015 o Secovi Rio se tornou o Capítulo Rio de Janeiro do Institute of Real State Management (IREM), o que vai fortalecer o mercado regional”.

Panorama do mercado imobiliário

A vice-presidente Financeira do Sindicato, Maria Teresa Mendonça, deu continuidade ao evento mostrando os principais dados do Panorama do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro 2015, pesquisa que, em sua quinta edição, traz dados sobre compra, venda, locação, condomínios, entre outras informações socioeconômicas. “Em 2015 o mercado imobiliário, assim como todos os outros setores, não ficou imune à crise econômica e política do País. Inflação, juros altos, queda de volume de financiamento imobiliário, desemprego, endividamento das famílias, tudo isso gerou reflexos na demanda, na oferta e nos preços dos imóveis”, disse.

 

 

A dirigente ressaltou que as unidades disponíveis para venda encalharam e migraram para o mercado de aluguéis. Em dezembro de 2015 registrou-se pico de 7.866 unidades ofertadas para locação, 45,2% a mais que no mesmo mês de 2014, superando a marca dos anos anteriores. De janeiro de 2012 a dezembro de 2015, o aumento foi de 116,3%. Como consequência, o preço médio do metro quadrado do aluguel na cidade teve uma queda de 12,4%, baixando de R$ 44,73, em janeiro, para R$ 39,16, em dezembro de 2015, valor que se aproximou do praticado em 2012.

“Para compra, o valor do metro quadrado médio se manteve praticamente estável, variando apenas 0,49% (de R$ 9.527 para R$ 9.574), menos que os 2,1% de 2014”, completou, lembrando que, na Zona Sul, onde os aumentos de preços haviam sido muito expressivos há cerca de 5 anos, a tendência vem se invertendo. O preço médio do metro quadrado para locação ficou 11,7% mais baixo. Para venda, a variação também foi negativa, de -3,74%.

O evento contou com o patrocínio da Porto Seguro. A Haganá, empresa referência em terceirização de serviços de segurança, apresentou a cartilha “Segurança Condominial”, lançada em janeiro em parceria com o Secovi Rio, e mostrou aos convidados também alguns de seus serviços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *