Se para nós, humanos, o calor intenso já traz forte mal-estar, as sensações ruins podem ser ainda maiores nos animais de estimação. Por conta disso, é essencial tomar alguns cuidados especiais com nossos pets neste período.

As altas temperaturas podem fazer com que cachorros e gatos fiquem desidratados, ofegantes ou que cheguem até a desmaiar. Para evitar situações desconfortáveis para o seu melhor amigo de quatro patas, conversamos com a veterinária Karoliny Iorgov e listamos algumas dicas e cuidados para seguir nos meses mais quentes. Confira!

1. Hidratação

Beber bastante água nos dias quentes não é uma recomendação que vale só para nós, humanos, mas também para os nossos animais de estimação. É fundamental que os pets se mantenham hidratados durante o dia para repor o que foi perdido por meio da transpiração. Para isso, segundo Iorgov, é necessário espalhar diversos potes de água pela casa.

2. Exposição solar e hora do passeio

A exposição solar é outro fator que exige muito cuidado nos dias quentes. De acordo com a veterinária, alguns animais precisam utilizar filtro solar. Portanto, é importante conversar com um veterinário para saber se o seu pet faz parte desta lista e entender qual é o produto mais aconselhado. Em geral, os cães brancos com focinho rosado necessitam de bastante filtro solar nestes dias.

Apesar de ser um momento relaxante e muito importante para a saúde dos pets, é preciso se atentar também com a hora dos passeios nos dias quentes. Para evitar que os cachorros sejam fortemente expostos ao sol, os horários mais recomendados para levá-los para passear são, de manhã, das 7h às 9h, ou a tarde, das 16h às 19h. Mesmo seguindo estes horários, que são mais frescos, ainda é importante checar se o chão está com uma temperatura confortável. “Se você acha que seria ruim para você andar sem calçado, jamais leve seu pet. Eles são muito mais sensíveis que os humanos”, explica a veterinária.

Nesta hora, os cuidados devem ser ainda maiores com animais braquicefálicos, como os pugs, bulldogs, shih tzu ou pequinês, por exemplo. Estas raças possuem uma tendência maior a desenvolver problemas respiratórios e, por conta disso, o passeio pode não ser recomendado em dias quentes. Se o seu melhor amigo de quatro patas é de uma destas raças, é importante levá-lo ao veterinário para saber se há alguma restrição.

3. Alimentação

Se nós preferimos alimentos mais frescos no calor, já dá para esperar que nossos animais de estimação também possuem este mesmo desejo. Além da alimentação habitual, alimentos refrescantes, como cenoura, maçã, melancia e melão também são aconselhados. Para os gatos, a ração úmida é uma ótima opção em temperaturas mais altas.

Algumas frutas, que costumam ser bem refrescantes, podem ajudar a manter a alta imunidade nos animais, mas é importante que os donos tomem alguns cuidados para não alimentar os pets com alimentos que podem trazer danos à saúde. As frutas cítricas e o caqui, por exemplo, podem causar irritação no estômago dos pets. Já as uvas são tóxicas para os animais e podem causar lesões renais. Além disso, o abacate pode causar vômitos e a cereja pode conter cianeto e prejudicar o transporte de oxigênio celular. Por fim, as bananas são bastante calóricas. Por conta disso, deve-se manter um consumo moderado para que os animais não sofram com obesidade ou diabetes.

Fonte: Casa Vogue