Projeto de aluno de Aquicultura da IFSC Itajaí vai estimular produção de peixes e hortaliças em condomínios.

Aquaponia, a técnica que reúne a piscicultura e a hidroponia, se revela uma boa opção para o cultivo de hortaliças e peixes dentro de condomínios

Aquaponia Urbana é uma realização de Gilbram Westarb Borgonovo, em parceria com os demais discentes do curso de Técnico em Aquicultura do IFSC – Instituto Federal de Santa Catarina, criado com o intuito de promover alimentação saudável e aumentar a produção da aquaponia.

A ideia do projeto é consolidar os benefícios da produção do pescado e colheita de hortaliças e vegetais, sendo orgânico e biológico.

Em um sistema integrado chamado de “aquaponia”. Aquaponia? É um sistema de cultivo que une a Piscicultura (cultivo de peixes) e a Hidroponia (cultivos de plantas sem o uso de solo, com as raízes submersas. cujo objetivo é desenvolvimento de um meio de produção de alimentos em larga escala sustentável, que não necessita de tantos recursos e menos poluente do que meios tradicionais. Valorizando os alimentos produzidos de forma responsável. A origem dos alimentos, o impacto ao meio ambiente, a valorização da comunidade produtora, condomínios, condômino, tudo isto deve ser buscado com esse simples modelo de negócio.

Já existem fazendas urbanas com aquaponia em países como Austrália, Israel e Estados Unidos. “Eles produzem dentro das cidades”.

Dá para alimentar as famílias e se tornar uma fonte de renda. Por aqui, o objetivo é desenvolver novas tendências para condôminos promovendo o pescado e cultivo de vegetais orgânico  em um sistema biológico. Valorizando os alimentos produzidos de forma responsável, argumenta “Gilbram Aquaponia Urbana oferta todo o sistema e manejo dentro dos condomínios. Os custos são dividido entre os condôminos. Que reverte em colheita de vegetais e despesca. Podendo consumir ou comercializar os mesmo.
Gilbram faz estudos com sistemas de aquaponia dentro do IFSC – Instituto Federal de Santa Catarina, no campus de Itajaí. Ele diz que apesar da aquaponia criar novas opções para o crescimento sustentável de vegetal e animal seu uso ainda é escasso. Esta técnica é pouco difundida e exige técnicas para seu manejo.

Visando uma maior difusão desta tecnologia e maior qualidade de vida para as pessoas, seria interessante que houvesse um serviço prestado dentro dos condomínios.

O principal objetivo dos sistemas aquapônicos é produzir peixes, legumes e verduras, de forma sustentável.

Na aquaponia, tanto a porção animal quanto a vegetal crescem de forma integrada e completamente autossustentável. Dessa forma, dispensa o uso de fertilizantes industriais para as plantas alimentícias, ao mesmo tempo em que mantêm a água limpa e oxigenada para o crescimento saudável dos peixes e crustáceos.

No mundo todo, a tilápia é a espécie mais empregada em sistemas aquapônicos, lambari rosa, pacu, camarão-d’água-doce vem se desenvolvendo bem. Entre os vegetais, os de folhas verdes são facilmente cultivados.

Todavia o destaque fica por conta do alface, do manjericão, repolho chinês, pimentão, melão acapulco, quiabo, tomate, feijão, agrião, inhame, ervilha, morango, nabo, cenoura, batata-doce, entre outros.

É um sistema que resolve um problema da piscicultura solucionando um problema da hidroponia. Basta alimentar os peixes que o ciclo se fecha. O excremento produzido pelos peixes é rico em nutrientes que alimentam as plantas, que por sua vez filtram a água para os peixes.

Os dois sistemas estão fisicamente separados e interligados por um sistema de bombeamento que leva a água com fezes de peixe para o sistema hidropônico e devolve a água limpa do sistema hidropônico para o tanque com os peixes.

Qualquer condomínios em Santa Catarina poderá solicitar participação deve ser inscrita através de (CNPJ). Deverá estar em dia com suas obrigações legais.

Será somado número de imóveis e número de famílias, Assim teremos a capacidade de produção. Depois será feita uma avaliação física para implementação.

O sistema pode ser integrado ao paisagismo dentro do condomínio.

Uma visão 360 graus do ambiente

No final o sistema vai produzir  fertilizantes orgânicos. Os jardins do condomínio são áreas importantes para o convívio dos condôminos e para a valorização do patrimônio. A falta de uma manutenção adequada pode se tornar um problema, fora o alto custo de manutenção.

O projeto visa usar os compostos orgânicos tirado do manejo da aquaponia para alimentar jardim, plantas do condomínio. Como a adubação orgânica pode substituir, parcial ou até completamente, a adubação comum, o condomínio consegue obter uma redução significativa em seus custos de manutenção.

Além da vantagem econômica, o fertilizante produzido por meio da aquaponia também apresenta benefício ambiental. Esta característica sustentável se deve à reciclagem de matéria orgânica e nutrientes que seriam desperdiçados.

Sobre o autor

Gilbram Westarb Borgonovo é Ítalo-brasileiro, formado em Marketing pela UNINTER, Certified Six Sigma Green Belt™, aluno de técnico em aquicultura pela IFSC, autor do Scrum Meetings LSP, Kaizen LSP, Ho’oponopono LSP e suas certificações globais, baseadas em Lego® Serious Play®. Ao longo do tempo o autor vem desenvolvendo metodologias de gestão e marketing em diversos mercados. Boa parte dos gestores estão voltados para a busca de eficiência em estruturas e ambientes relativamente estáveis e não para a introdução ágil de novos produtos, serviços ou modelos de negócio. Há desse modo, uma carência na construção de habilidades empreendedoras que Gilbram busca suprir.

  • Leia mais sobre o projeto aqui.

Via Síndico Net e Release Aquicultura da IFSC.