Os proprietários estão na constante busca de métodos que possam valorizar seus imóveis. Reformas, manutenções… tudo isso pode fazer uma grande diferença. Mas não podemos esquecer da importância do condomínio nesta questão. O ambiente que está ao redor do imóvel influencia – e muito – na hora de fechar negócio.

É fato: os brasileiros vêm, a cada dia que passa, buscando mais morar em condomínios, sejam eles horizontais ou verticais, dos mais diversos tipos e orçamentos. Sendo assim, nos cabe entender os motivos que trouxeram essa mudança e o que pode ser feito para melhorar, ainda mais, o ambiente comunitário.

Os principais motivos que levam os brasileiros a procurarem os condomínios são, basicamente, a segurança, a comunicação e a colaboração. Estes três fatores influenciam na qualidade de vida de todos, e, por isso, acabam sendo decisivos na hora de assinar um contrato.

A segurança é considerada a principal motivadora para o crescimento dos condomínios, especialmente em tempos de violência. Por contarem com uma estrutura mais completa de serviços de monitoramento, equipamentos de segurança e equipe treinada, os condomínios representam uma solução para a busca de um lugar mais tranquilo para se viver e, consequentemente, valorizam automaticamente os imóveis. Para isso, é importante que a gestão do condomínio esteja sempre atenta a esta questão, fazendo a manutenção periódica de equipamentos e fornecendo treinamentos específicos aos colaboradores.

Com a maior segurança, a tendência é que o vínculo social entre os vizinhos seja maior em um condomínio. É evidente que, como em qualquer lugar, a vida em comunidade pode ter seus altos e baixos, por causa de conflitos e desentendimentos. Nestes casos, o síndico e os colaboradores devem saber como agir para resolver os problemas, sempre mantendo o respeito entre todos.  A base de tudo é a identificação de possíveis comportamentos prejudiciais e a conversa.

Quando falamos de vida social dentro do condomínio, é necessário que se desenvolva um espírito de colaboração e integração. Isso pode incluir projetos de hortas coletivas, grupos de futebol, passeios, recreação e colônia de férias para as crianças… tudo isso ajuda a criar uma convivência mais agradável e a evitar maiores problemas (por quaisquer motivos).

Também é válido lembrar que é essencial que a parte estrutural do condomínio esteja em boas condições. Do que adianta ter uma ótima relação entre moradores se as paredes estão com o reboco caindo ou a piscina está suja? Estes “pequenos” detalhes podem ser decisivos na hora de um potencial comprador ou inquilino fechar negócio.

Se você está prestes a se mudar, não deixe de procurar conhecer o condomínio onde está o imóvel. Consulte os atuais condôminos, se informe sobre aspectos como comércio ao redor, segurança, vizinhança e mais. Fazendo isso, as chances de ter uma decepção no futuro diminuem bastante.