Com o passar do tempo, é natural que os edifícios e condomínios fiquem mais antigos, e, com isso, passem a necessitar de algumas obras estruturais, funcionais ou estéticas.

Muitas vezes, tais mudanças são encaradas como gastos supérfluos, que poderiam ser evitados. Porém, é essencial que os condôminos as entendam como investimento, uma vez que valorizam o condomínio e, consequentemente, os imóveis.

Para que as reformas aconteçam de forma mais tranquila em seu condomínio, separamos algumas dicas de como o síndico deve conduzi-las, evitando transtornos com moradores e funcionários. Confira abaixo!

– Na hora de fazer o orçamento, não se guie apenas pelo valor mais barato. É essencial que seja feita uma pesquisa sobre as empresas cotadas, para saber qual apresenta maior solidez financeira, experiência, qualidade no serviço oferecido e compromisso a longo prazo. Por isso, pesquise bem sobre qual terá o melhor custo-benefício para o seu condomínio.

– Para organizar o processo de licitações, orçamentos e toda a parte burocrática, é interessante que se monte um conselho de obras, que também será responsável por compartilhar as decisões e visões.

– Ainda se tratando da hora da escolha da empresa que fará a reforma, entre em contato com seus clientes anteriores. Se possível, visite obras e serviços executados por tal empresa, para que possa comprovar sua qualidade e veracidade.

– Ao dar início à obra, pode-se pensar em sustentabilidade. Itens que estiverem em bom estado de uso podem ser doados, e os resíduos e itens em mau estado devem ser descartados de forma correta, possibilitando, assim, a sua reciclagem.

– Para evitar reclamações dos condôminos, que tal documentar o andamento da obra? Filme e fotografe o antes, o durante e o depois. Assim, as melhorias ficarão mais explícitas para todos, que entenderão melhor como seu dinheiro foi investido.

– Para edificações maiores, é indicado que se contrate uma empresa para executar a obra e outra para fiscalizá-la. Assim, a imparcialidade fica garantida.

– Se possível, instale sistemas de reuso de água e de captação de energia solar. O investimento pode parecer alto no início, mas, com o tempo, a economia nas contas compensará. Além disso, ainda é um jeito de economizar os recursos naturais que são essenciais para o nosso dia a dia.