Pode parecer coincidência, mas os principais motivos de conflitos em condomínios começam com a letra C: canos, cães, criança e carros. Para que estas palavrinhas não representem mais problemas, separamos aqui algumas dicas de como lidar com elas. Confira!

– Cano: Os vazamentos podem ser um grande motivo de dores de cabeça para síndicos e moradores. Os edifícios antigos estão mais propensos a enfrentarem problemas com o encanamento, mas isso não significa que os mais novos também não passem pelo problema. Para evitar complicações maiores, o gestor deve sempre estar atento à manutenção do encanamento do prédio, mantendo, de forma periódica, as manutenções preventivas, especialmente nas áreas comuns. Quando o vazamento é restrito à unidade, é dever do condômino providenciar o conserto.

– Cães: Os animais domésticos podem ser um ponto de polêmica em condomínios, e, aqui, os cães representam a maioria. As principais reclamações são em relação ao barulho, à sujeira deixada e à segurança, em casos de animais mais agressivos. Para evitar problemas do tipo, a convenção do condomínio deve ser bem clara em relação às regras de convivência, para o uso do elevador, entrada na garagem ou portaria e circulação nas áreas comuns. Vale lembrar aqui que caso as regras não sejam cumpridas, a culpa não é do animal, mas sim de seu dono, que poderá sofrer as penalidades previstas.

– Carros: Arranhões na pintura, dificuldade de estacionar, número de vagas menor que o de apartamentos… tudo isso pode gerar conflito quando falamos da garagem de prédios e condomínios. Para resolver tais questões, é essencial que a convenção do condomínio tenha algum tipo de disposição sobre o assunto. Para a diferença entre o número de vagas, um sorteio entre os condôminos pode ser a solução. Para arranhões e amassados, a instalação de um sistema de câmeras pode inibir quem estiver agindo de má fé.

– Crianças: É normal que, em condomínios, as crianças se reunam para brincar, principalmente aos fins de semana. Isso pode incomodar os vizinhos, especialmente em relação ao barulho em horários inapropriados ou a algum dano causado a carros ou outros itens do condomínio. Por isso, é essencial que os pais estejam sempre atentos a seus filhos, orientando-os a não atrapalhar o sossego dos vizinhos. Se for possível, o condomínio pode construir um espaço para as crianças brincarem, como um salão de jogos ou uma brinquedoteca.