Reforma de imóveis: quando quebrar vira investimento

Uma valorização de 30 por cento. Esse é o percentual conquistado em média com reformas e acréscimo de itens decorativos nos imóveis. No entanto, existem ambientes, peças e detalhes que podem fazer a diferença para se destacar no mercado e conquistar de forma assertiva esse aumento no valor para aluguéis ou vendas. Especialistas ensinam os principais cuidados que fazem das melhorias uma excelente vantagem para o investidor.

Reformas que embelezam os imóveis são os melhores diferenciais que podem ser oferecidos por quem deseja vender ou alugar, além de fator decisivo para quem está em busca de um imóvel. A alguns investimentos na infraestrutura podem valorizar o preço de aluguel e venda em até 30 %, segundo Leonardo Schneider, vice-presidente do Secovi Rio.

“Podemos dividir essas reformas entre as visíveis e as não visíveis. Na primeira, é possível ter um retorno mais rápido, pois tem a função de embelezar os ambientes e deixa-los mais atraentes. São gastos menores como pinturas, torneiras, espelhos, esquadrias, pisos e portas. Já as não visíveis, como atualização da parte elétrica e hidráulica, podem não trazer a mesma liquidez, mas promovem a manutenção e preservação do imóvel”, explica Leonardo.

Muitas vezes esses investimentos podem ser a solução para imóveis que não conseguem ser vendidos ou alugados, e segundo Schneider, além das reformas, investimentos em acessórios também aumentam as chances de encontrar um mais rápido um inquilino.

“Para quem quer alugar, principalmente usados, investir em armários planejados para a cozinha e banheiro com certeza faz com que o imóvel se destaque em, relação aos outros. Isso porque, quem aluga geralmente não tem esses itens. São diferencias que com certeza aumentam a atratividade e garantem mais liquidez ao imóvel”, ressalta.

A empresária Soraya Venâncio Cavalcanti é uma investidora que conhece bem a importância de uma boa reforma. O segredo para ter vantagens com o investimento, segundo ela, é buscar a neutralidade e conhecer materiais de boa qualidade.

“Compro imóveis, às vezes bem deteriorados, reformo, em alguns casos mobílio. Depois disso, vendo com um lucro de 30 por cento em média, mas já consegui até 40. As vezes a pessoa visita outro imóvel idêntico mas prefere pagar mais no que eu ofereço por causa das melhorias realizadas. Por experiência, sei que é preciso estar atenta para não ousar demais em cores e formatos e ter bom gosto e experiência para escolha de itens com qualidade”.

Os acabamentos são os itens que mais impressionam os clientes e também devem ser priorizados por quem pensa em reformar segundo Soraya. Além disso, iluminação e mobília, segundo ela, costumam ser ótimos diferencias.

“Acabamentos novos como cerâmicas, louças e torneiras são o que mais impressionam os possíveis inquilinos ou compradores. Itens decorativos, como papéis de parede também fazem uma grande diferença. Muitas vezes imóveis antigos possuem apenas um ponto de luz, por isso, investir na iluminação e colocar espelhos nos ambientes, além de darem a impressão que o espaço é maior, também costumam ser bastante decisivos para quem procura uma casa ou apartamento”, destaca.

Entender as necessidades e preferências dos clientes ajudam a definir as reformas mais importantes, como explica Fábio Donizete, gerente de locação da Grupo Imóveis Assessoria Imobiliária.

“Sem qualquer machismo, elas valorizam mais a cozinha e o banheiro. Portanto, bons revestimentos na parede e piso, armários, bancadas, louças, metais, box blindex, além de ambientes claros e limpos são sempre decisivos na escolha. Bons armários nos quartos e salas, portas e janelas também são bastante considerados por elas. Pisos de taco, carpete, ardósia, acrílicos e gabinetes antigos também devem ser substituídos”, ensina o gerente.

Projeto – Autora de um projeto que reformou por completo um apartamento em Icaraí, a arquiteta Cinara Vidipó explica que a principio o trabalho tinha como objetivo a moradia do próprio proprietário, mas a valorização, segundo ela, fez com que o dono passasse a considerar a venda e locação do imóvel.

“No caso de Icaraí, conseguimos uma valorização de 40 por cento. Acho que o imóvel tem que se mostrar de forma conquistadora e acolhedora. Imóveis recentemente reformados com a contratação de profissionais de arquitetura e design tendem a conquistar ainda mais os clientes, uma vez que se trata de uma reforma previamente pensada e esteticamente rica em detalhes”.

A necessidade de realizar reformas aparecem de forma aleatória e, de acordo com Cinara, geralmente começam com a troca de instalações antigas, que não aceitam mais reparos.

“É possível identificar com mais facilidade a necessidade de reforma em imóveis antigos, que não passaram por manutenção, onde a instalações elétricas são ineficientes, infiltrações evidentes e revestimentos quebrados, sem reposição. Geralmente começamos uma reforma pela base de instalações gerais mantendo o layout original, mas também gerando a possibilidade de novas composições no futuro”, conclui a arquiteta.

(O Fluminense)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *